Coronavírus

Covid-19 suspende congresso espanhol com mil oftalmologistas

Covid-19 suspende congresso espanhol com mil oftalmologistas

A Sociedade Espanhola da Retina e Vítreo suspendeu o seu 24.º congresso, que deveria começar esta quinta-feira em Burgos com a presença de mil oftalmologistas, para evitar a propagação do novo coronavírus entre os profissionais de saúde.

A decisão, anunciada esta quarta-feira, segue as recomendações feitas na terça pelo Ministério da Saúde espanhol na sequência do aumento dos casos de pessoas infetadas com o novo coronavírus.

Muitos dos participantes já tinham comunicado a sua impossibilidade de participar na reunião, em que estava prevista a presença de especialistas de Espanha e de países como os Estados Unidos, França, Alemanha, Itália, Bélgica e Egito, para apresentar os últimos avanços nos tratamentos em oftalmologia.

O conselho de administração da Sociedade Espanhola da Retina e Vítreo espanhola também comunicou a sua decisão de manter Burgos (norte interior de Espanha) como o local da reunião, que será realizada numa nova data a comunicar em breve.

O Governo espanhol recomendou na terça-feira que os eventos desportivos onde se espera um grande afluxo de espetadores de áreas de risco do novo coronavírus sejam realizados à porta fechada.

Como segunda medida adicional, o Ministério da Saúde sugeriu o cancelamento de todos os congressos, seminários e reuniões em que participam os profissionais da saúde, porque é preciso "que estejam em perfeitas condições e tanto quanto possível disponíveis nos próximos dias".

Os casos do surto de Covid-19 em Espanha subiram na terça-feira para 150, dos quais sete, mais graves, estão em unidades de cuidados intensivos, estando as autoridades sanitárias a avaliar se devem subir o nível de alerta em duas zonas mais atingidas.

No mundo há mais de 92 mil casos confirmados, com mais de três mil mortes. Das pessoas infetadas, cerca de 48 mil recuperaram, segundo autoridades de saúde de vários países.

A Organização Mundial de Saúde já declarou o surto de Covid-19 como uma emergência de saúde pública internacional de risco "muito elevado".