São Paulo

Cozinheira conta como salvou 50 crianças dos atiradores no Brasil

Cozinheira conta como salvou 50 crianças dos atiradores no Brasil

Silmara Moraes estava na escola Estadual Raul Brasil, quando dois rapazes armados entraram e atiraram sobre várias pessoas, esta quarta-feira. Há a confirmação de pelo menos 10 mortos, mas poderiam ser mais se não fosse a intervenção desta cozinheira e de outros funcionários do estabelecimento de ensino de São Paulo.

"Estávamos a servir as refeições e de repente começaram os disparos. As crianças entraram logo em pânico. Abrimos a cozinha e colocamos o maior número de crianças possível lá dentro. Fechamos tudo e pedimos para eles se deitarem no chão", disse, emocionada, ao portal "G1".

A funcionária explicou que utilizaram frigoríficos e arcas congeladoras para se protegerem dos atiradores. "Eles pareciam que estavam à procura de alguém. Andavam de um lado para o outro, sempre a disparar. Isto tudo durante 10 ou 15 minutos", explicou.

Mesmo trancados no interior da cozinha, Silmara contou que chegou a temer o pior. "Eles estavam muito próximos e a cozinha tem muitas janelas".

Dois adolescentes de cara tapada entraram, esta quarta-feira, na Escola Estadual Raul Brasil. Atingiram a tiro várias pessoas antes de se suicidarem. De acordo com a imprensa brasileira, são dois antigos alunos.