eleições

CPLP considera livres, justas e transparentes eleições em Timor-Leste

CPLP considera livres, justas e transparentes eleições em Timor-Leste

A missão de observação eleitoral da Comunidade dos Países de Língua Portuguesa considerou, este domingo, numa declaração aos jornalistas, que as eleições legislativas realizadas no sábado em Timor-Leste foram credíveis, livres, justas e transparentes.

"A missão de observação eleitoral da CPLP declara o ato eleitoral de 7 de julho de 2012 credível, justo, livre e transparente, o que constitui um motivo de satisfação e reforça a credibilidade e coesão da Comunidade dos Países de Língua Portuguesa", afirmou o chefe da missão, o brasileiro Carlos Alves Moura.

Carlos Alves Moura, antigo representante da Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (CPLP) na Guiné-Bissau, saudou também o povo timorense pela "forma cívica como participou no ato eleitoral, numa demonstração inequívoca de cidadania e maturidade democrática, que reforça os valores da democracia e do Estado de Direito em Timor-Leste".

Na declaração preliminar da missão de observação, Carlos Alves Moura destacou também o "profissionalismo demonstrado pela Polícia Nacional de Timor-Leste na criação de condições de segurança".

A missão da CPLP observou o ato eleitoral nos distritos de Baucau, Díli, Ermera, Lautém, Liquiça e Viqueque.

O CNRT, do atual primeiro-ministro timorense, Xanana Gusmão, venceu sem maioria absoluta as eleições legislativas de sábado, segundo os resultados provisórios do Secretariado Técnico da Administração Eleitoral (STAE) depois de contados os votos nos 13 distritos do país.

Segundo o STAE, o CNRT obteve 172.831 votos (36,66 por cento) e terá 30 deputados no parlamento.

PUB

A Fretilin, do antigo primeiro-ministro Mari Alkatiri, obteve 147.786 votos (28,87 por cento) e ficou em segundo lugar com 25 deputados.

Em terceiro, segundo os resultados provisórios do STAE, ficou o PD, do atual presidente do parlamento Fernando La Sama de Araújo, com 48.581 votos (10,39 por cento) e 10 deputados e na quarta posição a Frente Mudança com 14.648 votos (3,11 por cento) com dois deputados.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG