Golpe militar

Criança baleada enquanto "corria para os braços do pai" em Myanmar

Criança baleada enquanto "corria para os braços do pai" em Myanmar

Menina de sete anos tornou-se a mais jovem vítima mortal na sequência do golpe militar em Myanmar. Segundo a irmã mais velha de Khin Myo Chit, de 25 anos, tudo aconteceu quando a criança estava a correr para os braços do pai durante uma invasão militar no bairro onde viviam, em Mandalay, na terça-feira. Segundo a organização Save the Children, mais de 20 crianças já foram mortas desde o dia 1 de fevereiro.

De acordo com Khin Myo Chit, os militares entraram na sua casa com o objetivo de encontrar armas e fazer prisioneiros. "Eles arrombaram a porta. Quando a porta abriu, perguntaram ao meu pai se haviam outras pessoas na casa", relatou a irmã da vítima à BBC. Quando U Maung Ko Hashin Bai, pai da criança, disse que estava sozinho, acusaram-no de mentir e foi nesse momento que Khin Myo Chit, enquanto corria para se sentar no colo do progenitor, foi baleada.

Segundo os militares, 164 pessoas já foram mortas em protestos, enquanto Associação de Assistência a Presos Políticos (AAPP) estima pelo menos 261 mortos. Segundo a BBC, as forças de segurança foram responsáveis por atuarem nas manifestações, enquanto os militares conduziram as invasões domiciliares para prender ativistas e manifestantes.

PUB

O pai da vítima disse que a polícia também espancou e prendeu o filho de 19 anos.

Em comunicado, a Save the Children, organização não-governamental de defesa dos direitos da criança no mundo, disse estar "horrorizada" com a morte da menina que ocorreu um dia depois de uma criança de 14 anos ter sido morta a tiro. "A morte destas crianças é especialmente preocupante, visto que elas foram mortas enquanto estavam nas suas casas, onde deveriam estar protegidas de perigos. O facto de tantas crianças serem mortas quase diariamente mostra agora um completo desprezo", disse a organização.

Sabe-se que esta quarta-feira mais de 600 detidos pelos militares foram libertados. No total, segundo a AAPP, mais de 2800 pessoas foram detidas na sequência do golpe de Estado militar que derrubou o governo de Aung San Suu Kyi.

De acordo com a BBC, os manifestantes já planearam uma greve silenciosa para se posicionarem em relação ao fecho de empresas e às pessoas que estão a ficar sem casa. Além disso, existem planos para uma vigília durante a noite, tanto em Yangon quanto noutros lugares.

Até ao momento os militares ainda não comentaram a morte da criança de sete anos.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG