China

Criança encontrada em casa com cadáver do avô durante quarentena do coronavírus

Criança encontrada em casa com cadáver do avô durante quarentena do coronavírus

Um menino de cerca de cinco ou seis anos foi encontrado sozinho em casa com o corpo do avô morto, na província de Hubei, na China, durante a quarentena do coronavírus Covid-19. Caso está a gerar indignação na Internet.

De acordo com os meios de comunicação locais, citados pelo jornal britânico "The Guardian", um homem idoso com o sobrenome Tan foi encontrado morto, na segunda-feira à tarde, em casa, por trabalhadores do distrito de Zhangwan, na cidade de Shiyan, que implementou a quarentena de "guerra" para impedir a propagação do coronavírus.

O neto, uma criança de cinco ou seis anos, também estava na casa, disse aos meios de comunicação Guo Ruibing, vice-diretor adjunto do departamento de publicidade do distrito de Zhangwan.

Ruibing não confirmou os detalhes partilhados nas redes sociais de que o homem tinha morrido há vários dias e que o menino tinha sobrevivido apenas com bolachas. Quando os trabalhadores que entraram na casa lhe perguntaram por que é que não pediu ajuda, a criança respondeu: "O avô disse para não sair. Há um vírus lá fora".

Ao Hongxing News, uma plataforma de comunicação afiliada ao governo chinês, Guo Ruibing afirmou que não era possível que o homem tivesse morrido vários dias antes de ser encontrado. Devido à quarentena, em que os moradores são obrigados a permanecer em casa, são feitas visitas diárias para verificar como estão as pessoas, medir-lhes a temperatura e ver se precisam de comida.

Ruibing revelou que o tempo e a causa da morte de Tan ainda estão a ser investigados. A criança está a ser tratada "de acordo com o procedimento" do distrito. O pai do menino está na província de Guangxi e, devido às medidas de quarentena, não pode regressar. Quando questionado sobre a temperatura do homem antes da morte, Ruibing esclareceu que "estava normal".

Comunidade não sabe em quem deve acreditar

A notícia rapidamente originou uma onda de críticas na Internet. As pessoas desconfiam das informações oficiais: "Por que é que eles [autoridades] fazem um trabalho tão mau de 'dissipar rumores'?, questionou um utilizador da rede social Weibo, dizendo que o funcionário do distrito poderia ter utilizado os testemunhos da comunidade para reforçar a sua declaração. "O governo diz sempre 'impossível' ou 'sem dúvida', mas quem pode acreditar?", concluiu.

Outra pessoa culpou o governo pela desinformação: "A razão pela qual os rumores são tão comuns entre as pessoas é porque eles se tornaram banais no governo. A lição de Wuhan é que não se pode confiar neles. Só podes confiar em ti mesmo".

No início de fevereiro, o distrito de Zhangwan, na cidade de Shiyan, foi o primeiro a implementar medidas oficiais de quarentena de "guerra" em resposta ao surto de coronavírus, que surgiu na cidade vizinha Wuhan, capital da província de Hubei.

Edifícios comerciais e residenciais em Zhangwan foram fechados e nenhum carro sem autorização pode entrar na zona. Só os profissionais de saúde e os trabalhadores que fornecem bens essenciais podem sair às ruas, acompanhados pela polícia. Os moradores que violem as regras são detidos.

Outras Notícias

Outros Conteúdos GMG