Covid-19

Critérios tornam vacina improvável antes das eleições nos EUA

Critérios tornam vacina improvável antes das eleições nos EUA

A Agência do Medicamento dos Estados Unidos (FDA) estabeleceu na terça-feira critérios de aprovação de uma futura vacina contra a covid-19, que tornam improvável a sua autorização antes das eleições presidenciais em 3 de novembro.

Os fabricantes de vacinas terão de esperar pelo menos dois meses após injetar a última dose dos ensaios clínicos de Fase 3, antes de submeterem um pedido de comercialização, segundo um comunicado divulgado pela agência na sua página na internet.

Os três testes em curso nos Estados Unidos começaram no final de julho (Moderna e Pfizer) e no final de setembro (Johnson & Johnson), sendo que os dois primeiros requerem a administração de duas doses com um intervalo de três ou quatro semanas.

"A FDA está empenhada em garantir que o processo de desenvolvimento e avaliação científica das vacinas contra a covid-19 seja o mais aberto e transparente possível", escreveu no Twitter o chefe da agência norte-americana, Stephen Hahn, que, segundo a comunicação social do país, mantém há várias semanas um "braço de ferro" com a Casa Branca para impor estes critérios.

As regras vêm "atrapalhar" a Pfizer, que tem insistido que o seu ensaio clínico terá dados suficientes até ao final de outubro, correspondendo às previsões de Donald Trump, enquanto a Moderna, por sua vez, já tinha apontado a comercialização da sua vacina para o final de novembro.

PUB

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG