Migração

Croácia vai investigar denúncias de violência e de reenvios ilegais de migrantes

Croácia vai investigar denúncias de violência e de reenvios ilegais de migrantes

O governo da Croácia anunciou esta quinta-feira a criação de uma comissão para investigar novas denúncias de violência policial e de reenvios ilegais, conhecidos como "pushbacks", de migrantes para a Bósnia-Herzegovina, ações reveladas num relatório divulgado esta semana.

"A nossa equipa de peritos já está no terreno com a tarefa de determinar o que aconteceu, quem esteve envolvido, onde aconteceu (...), há muitas questões que precisam de uma análise minuciosa", declarou o ministro do Interior croata, Davor Bozinovic, à emissora N1.

Davor Bozinovic assegurou que a polícia croata "não permite" que os respetivos agentes abusem do poder ou recorram à violência, frisando que, sempre que tais comportamentos forem comprovados, os culpados serão sancionados.

PUB

Uma organização não-governamental (ONG) holandesa dedicada ao jornalismo de investigação, a Lighthouse Reports, divulgou na quarta-feira uma reportagem, publicada pela revista alemã Der Spiegel e pelo diário francês Libération, que denuncia e documenta, através de dados e de imagens, práticas ilegais e violentas contra migrantes cometidas por presumíveis elementos da polícia croata na fronteira com a "vizinha" Bósnia-Herzegovina.

As imagens mostram operações violentas de "pushback" de migrantes executadas por elementos com o rosto coberto e sem insígnias, mas que estão a usar os mesmos equipamentos da polícia croata.

Um dos vídeos revelados pela Lighthouse Reports mostra os presumíveis agentes da polícia croata a agredirem vários migrantes e a empurrá-los para o rio Korana, na fronteira com o território bósnio, com o intuito de devolvê-los à força para a Bósnia-Herzegovina.

O mesmo relatório denuncia que os migrantes foram intercetados dentro do território croata e que não tiveram qualquer possibilidade de requerer asilo junto das autoridades deste país, que é Estado-membro da União Europeia (UE) desde 2013.

A ONG croata Studies for Peace (CMS), que há vários anos denuncia estas práticas, garante, segundo as agências internacionais, que estas novas imagens são mais uma prova da existência de uma política de expulsões de migrantes.

Outras organizações de defesa dos direitos humanos, como a Human Rights Watch e a Amnistia Internacional, também têm vindo a denunciar estes abusos, mas o executivo croata, em concreto Davor Bozinovic, tem sempre rejeitado tais acusações.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG