O Jogo ao Vivo

Nobel

Dalaï Lama considerou um "pouco prematuro" dar Nobel da Paz a Obama

Dalaï Lama considerou um "pouco prematuro" dar Nobel da Paz a Obama

O Dalaï Lama, premiado em 1989, considerou "um pouco prematura" a atribuição do Prémio Nobel da paz ao presidente norte-americano Barack Obama, que defendeu o direito à guerra no seu discurso em Oslo.

"Penso, sendo realista, que talvez seja um pouco prematuro. Mas não é grave, sei que Obama é uma pessoa muito capaz", declarou o chefe espiritual tibetano no exílio, em declarações à cadeia de televisão australiana Sky News.

Galardoado com o Prémio Nobel da paz em 1989, o Dalaï Lama indicou que o Mundo devia esperar para saber se Barack Obama merecia ter lugar ao lado de premiados anteriores como Aung San Suu Kyi e Lech Walesa.

PUB

"Quando o Prémio foi anunciado, (atribuído) a um presidente norte-americano jovem e cheio de energia, todos ficaram muito, muito contentes", declarou.

"Contudo, perante o anúncio... alguns pensaram ser um pouco cedo. Mas também há razões (para o dar a Obama). Então devemos esperar", declarou igualmente o Dalaï Lama.

O presidente norte-americano Barack Obama recebeu quinta-feira em Oslo o seu Prémio Nobel da Paz, atribuído em Outubro passado.

Por ironia do destino, a cerimónia de entrega do prémio realizou-se uma semana depois de Obama ter decidido enviar 30.000 soldados suplementares para o Afeganistão.

No seu discurso, Obama tentou justificar a sua acção no Afeganistão, dando uma verdadeira lição "de guerra e paz", procurando defender-se das críticas.

"Dizer que a guerra é às vezes necessária não é um apelo ao cinismo, é o reconhecimento da história, das imperfeições do homem e dos limites da razão", declarou Obama, que se descreveu como "o comandante em chefe de uma nação envolvida em duas guerras".

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG