Mundo

"Damas de Branco" vencem prémio "Vaclav Havel"

"Damas de Branco" vencem prémio "Vaclav Havel"

O movimento da oposição cubano "Damas de Branco" foi galardoado na sexta-feira com o prémio "Vaclav Havel" da Human Rights Foundation.

As "Damas de Branco" partilham o prémio deste ano com o popular caricaturista sírio Alí Ferzat e o ativista dos direitos humanos norte-coreano Park Sang Hak, anunciou a Human Rights Foundation (HRF) em comunicado.

O movimento das "Damas de Branco" surgiu após a prisão de 75 homens, em 2003, na chamada "Primavera Negra", para pedir a sua libertação.

Todos eles já saíram da prisão, muitos partiram para o exílio em Espanha e três ficaram na ilha, incluindo o marido de Berta Soler (Líder do grupo), devido à negação de passaporte.

"Apesar das prisões e espancamentos que receberam das autoridades cubanas, todas continuam a ir aos domingos a Havana para protestar pela falta de acesso aos direitos humanos", destacou o comunicado da organização sediada em Nova Iorque.

Além de receber cerca de 39.500 euros, os vencedores recebem uma réplica da estátua da Democracia, feita por estudantes chineses durante os protestos na praça Tiananmen.

A entrega dos prémios será realizada no dia 15 de maio, numa gala em Oslo que contará com a presença de Berta Soler, líder do grupo após a morte em 2011 da sua fundadora, Laura Pollan.

O prémio "Vaclav Havel", em homenagem ao Presidente, dramaturgo e defensor dos direitos humanos checo, foi criado no ano passado, e os primeiros vencedores foram o artista chinês Ai Weiwei, a ativista saúdi Manal Al-Sharif e a líder opositora birmanesa Aung San Suu Kyi.

Outras Notícias

Outros Conteúdos GMG