O Jogo ao Vivo

Julgamento

Defesa de Trump acusa democratas de "vingança política"

Defesa de Trump acusa democratas de "vingança política"

Os advogados de Donald Trump abriram esta sexta-feira a sua defesa no julgamento político do ex-Presidente dos EUA negando que ele seja responsável pelo ataque ao Capitólio, acusando os democratas de quererem "vingança política".

A defesa de Trump denunciou que os democratas de estarem a ser guiados pelo "ódio", no terceiro dia do julgamento em que o ex-Presidente é acusado de "incitação à insurreição".

"Como todas as caças às bruxas iniciadas pela esquerda nos últimos quatro anos, a acusação nada tem a ver com factos, evidências e interesses americanos", disse o advogado Michael van der Veen, no início da declaração de defesa, exigindo a absolvição do seu cliente.

Usando as mesmas armas que os procuradores democratas, Van der Veen divulgou vídeos para demonstrar que Donald Trump se apresentava regularmente como o protetor da "lei e ordem" e que também os seus adversários por vezes faziam discursos inflamados.

O 45.º Presidente dos Estados Unidos é acusado de ter incitado os seus apoiantes a atacarem o Capitólio, em 06 de janeiro, para travar a ratificação do resultado eleitoral de 03 de novembro, denunciando fraudes eleitorais, que nunca comprovou.

"Esta é uma retórica política comum, em nada diferente da linguagem usada por todos os partidos durante centenas de anos", argumentou Van der Veen, alertando contra os riscos de um processo que, segundo ele, "divide a nação".

O advogado de defesa disse que o ataque ao Capitólio foi executado por pessoas que agiram de mote próprio e que planearam aquela ação ainda antes de Trump ter discursado no comício que antecedeu a marcha até ao Congresso.

PUB

"Não é possível incitar o que já estava para acontecer", alegou Van der Veen, reconhecendo que o ataque foi um ato condenável e violento.

"Eles não ligaram nada ao que disse o Presidente", disse David Schoen, um outro advogado de Donald Trump presente na sessão do julgamento político no Senado.

Este argumento agrada aos senadores republicanos que querem ser vistos como políticos que condenam o motim no Capitólio, mas que não querem condenar o ex-Presidente.

Tanto nas alegações iniciais como na argumentação apresentada esta sexta-feira, os advogados de defesa de Trump deixaram claro que as pessoas que devem ser realmente condenadas são as que invadiram o Capitólio, que já estão a ser processadas pela justiça.

Donald Trump manteve-se ausente da sessão do seu julgamento político, que deve conhecer um veredicto ainda este fim de semana, sendo improvável que os democratas consigam a sua condenação, já que precisavam que 17 senadores republicanos concordassem com a acusação, para garantir a maioria qualificada de dois terços dos votos.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG