EUA

Democratas ajoelham-se durante oito minutos e 46 segundos em homenagem a George Floyd

Democratas ajoelham-se durante oito minutos e 46 segundos em homenagem a George Floyd

Cerca de 20 congressistas democratas ajoelharam-se esta segunda-feira no Congresso norte-americano e ficaram oito minutos e 46 segundos em silêncio em homenagem a George Floyd e outros afro-americanos "que perderam a vida de forma injusta".

Antes de apresentarem uma proposta de reforma da polícia, os democratas, incluindo a presidente do Congresso, Nanci Pelosi, o líder da minoria democrata no Senado, Chuck Scumer, e vários eleitos negros, reuniram-se no "Hall da Emancipação", cujo nome é uma homenagem aos escravos que trabalharam na construção da sede do Congresso, o Capitólio, no século XVIII.

Oito minutos e 46 segundos terá sido o tempo durante o qual um polícia branco pressionou o joelho do pescoço de George Floyd até asfixiar e matar o afro-americano, de 46 anos.

"Estamos aqui para honrar George Floyd", disse Nancy Pelosi antes de colocar um joelho no chão.

Segundo a Associated Press, os democratas apresentam esta segunda-feira um projeto de reforma da polícia que limita as proteções legais dos agentes, cria uma base de dados nacional sobre incidentes de uso excessivo de força e proíbe detenções com recurso ao estrangulamento, entre outras medidas.

A congressista Karen Bass, presidente do caucos do Congresso que representa os membros afro-americanos, disse tratar-se de um projeto "transformador".

PUB

Bass disse que o pacote legislativo, da responsabilidade dos congressistas e senadores democratas, será mais ousado do que qualquer mudança na aplicação da lei da última década.

"É altura de a cultura policial em muitos departamentos mudar", disse. "E acreditamos que esta legislação dará um grande passo nessa direção".

George Floyd, um afro-americano de 46 anos, morreu em 25 de maio, em Minneapolis (Minnesota), depois de um polícia branco lhe ter pressionado o pescoço com um joelho durante cerca de oito minutos numa operação de detenção, apesar de Floyd dizer que não conseguia respirar.

Desde a divulgação das imagens nas redes sociais, têm-se sucedido os protestos contra a violência policial e o racismo em centenas de cidades nos Estados Unidos e no resto do mundo.

Os quatro polícias envolvidos foram despedidos, e o agente Derek Chauvin, que colocou o joelho no pescoço de Floyd, foi acusado de homicídio em segundo grau, arriscando uma pena máxima de 40 anos de prisão.

Os restantes vão responder por auxílio e cumplicidade de homicídio em segundo grau e por homicídio involuntário.

A morte de Floyd ocorreu durante a sua detenção por suspeita de ter usado uma nota falsa de 20 dólares (18 euros) numa loja.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG