EUA

Demónios, hidroxicloroquina e ADN alienígena. A médica que Trump acha "impressionante"

Demónios, hidroxicloroquina e ADN alienígena. A médica que Trump acha "impressionante"

É conhecida pelas suas teorias polémicas, não tem dúvidas de que a hidroxicloroquina cura a covid-19 e de que a máscara de proteção é perfeitamente dispensável. Stella Immanuel, a médica que tem dado que falar nos últimos dias, é, para Trump, "uma voz importante".

Chama-se Stella Immanuel, tem 55 anos, é médica e uma das protagonistas da mais recente polémica que inundou as redes sociais em tempo de pandemia.

O Facebook e o Twitter eliminaram, recentemente, um vídeo da profissional de saúde a destacar a eficácia da hidroxicloroquina na cura da covid-19, sinalizando-o como desinformação. Ainda assim, antes de serem retiradas da Internet, já as imagens eram virais, tendo sido partilhadas pelo presidente dos EUA, Donald Trump, e um dos seus filhos.

No vídeo, a médica diz ainda que o uso de máscaras de proteção não é importante para travar a propagação da doença. "Retirámos o vídeo porque partilhava informações falsas sobre curas e tratamentos para a covid-19", explicou, na altura, o porta-voz do Twitter. Mas Trump saiu em defesa de Immanuel, sublinhando tratar-se de uma médica "bastante impressionante".

"Disse que teve um tremendo sucesso a curar centenas de pacientes infetados e, por isso, pensei que a sua voz fosse importante, mas não sei nada sobre ela", justificou.

No polémico vídeo, Stella surge num grupo de médicos - o chamado "America's Frontline Doctors" - a defender que os americanos têm estado a negar a potencial cura para a covid-19. "Ninguém precisa de ficar doente. Este vírus tem uma cura - a hidroxicloroquina - eu tratei mais de 350 pacientes e não tive uma morte", assegurou.

Ainda assim, no início deste mês, a Organização Mundial da Saúde (OMS) defendeu a descontinuação da utilização do medicamento no tratamento de pacientes hospitalizados, na sequência da falta de evidências da redução da mortalidade em pessoas infetadas.

Além disso, em junho, a FDA (agência federal do Departamento de Saúde e Serviços Humanos dos Estados Unidos) também se manifestou contra o uso da hidroxicloroquina, após relatos de doentes com vários problemas de saúde, nomeadamente cardíacos.

Factos esses que Stella Immanuel prefere ignorar, porque, afirma a médica, o medicamento é amplamente utilizado no seu país natal, os Camarões, e nunca se revelou prejudicial.

Atualmente a viver em Houston, no Texas, Stella formou-se na Universidade de Calabar, na Nigéria, e, de acordo com o Texas Medical Board, tem a licença médica válida. Há alguns anos criou um canal no Youtube onde apresenta teorias sobre a profissão médica.

Em 2015, por exemplo, defendeu que ADN alienígena estava a ser usado em tratamentos médicos e que estaria a ser desenvolvida uma vacina para prevenir que as pessoas fossem religiosas. Além disso, atribui várias doenças à ação de bruxas e a um "esperma demoníaco".

Face à retirada do vídeo partilhado por Trump, a médica utilizou o Twitter para deixar um aviso... ao Facebook, garantindo que Jesus Cristo destruiria todos os seus servidores caso as imagens não fossem restauradas.

Outras Notícias

Outros Conteúdos GMG