Caça ao homem

Desarmou quatro polícias e vestido de camuflado desapareceu na Floresta Negra

Desarmou quatro polícias e vestido de camuflado desapareceu na Floresta Negra

A polícia alemã montou uma caça ao homem na Floresta Negra, no sudoeste do país, onde um fugitivo sem-abrigo, vestido de camuflado e armado com pistolas e um arco com flechas se encontra em fuga. Sozinho, roubou quatro armas de serviço a agentes que o tentavam deter por ocupar uma cabana.

"Fiquem em casa e não deem boleia a ninguém" é o alerta da polícia local ao residentes de Oppenau, onde decorrem as buscas. Mas o alerta poderá ser brando demais para esta caça ao homem, onde se encontram empenhados mais de cem polícias, incluindo forças especiais. O suspeito em fuga está fortemente armado e é um velho conhecido das autoridades por vários crimes de porte de armas ilegais e diversos conflitos com a polícia.

Na imagem divulgada pelas autoridades de Yves Rausch de 31 anos, o suspeito aparece com a cabeça rapada e com uma leve barba. Numa outra imagem publicada pelo jornal "Bild", está de uniforme das forças especiais militares e com equipamento militar.

O incidente começou no domingo, quando uma patrulha tentou retirá-lo da cabana em que se encontrava. De acordo com os agentes, mostrou-se cooperativo no início, mas, "de repente e de maneira totalmente inesperada", sacou uma arma. "Ameaçou os agentes, que não tiveram tempo de reagir", relatou a polícia, acrescentando que, "provavelmente", escapou com quatro armas de serviço.

Rausch fugiu na direção da Floresta Negra, onde é procurado por mais de 100 agentes, incluindo efetivo das forças especiais e helicópteros. Na operação, estão a ser usadas câmaras térmicas e cães farejadores. Os investigadores acreditam que ele esteja a pé no mato, mas no perímetro de busca, uma zona florestal densa, há muitos possíveis esconderijos.

"Qualquer pessoa que se encontre com o suspeito tem que manter distância. Ele sofre de um transtorno mental", advertiu o porta-voz da polícia de Oppenau. A câmara da cidade, que classifica a situação como "perigosa", fechou jardins-de-infância e piscinas ao ar livre, preventivamente.

"Sempre teve pequenos trabalhos, como segurança num campo de golfe, ou na estação", contou um antigo moradores ao "Bild". "Há até um ano, vivia em um apartamento em cima de um albergue, até ser expulso, porque não pagava o arrendamento", lembrou.

"Na altura, parece que foram encontradas armas, munições e litros de gasolina no apartamento", completou, acrescentando que "ele tinha até um pequeno posto de tiro no celeiro".

Depois disso, Yves Rausch passou a morar no carro, até se instalar na cabana perto do bosque, onde os polícias o tentaram prender.

Outras Notícias