Mundo

Descoberta vala comum com mais de 100 cadáveres no Quénia

Descoberta vala comum com mais de 100 cadáveres no Quénia

Uma vala comum foi descoberta na região queniana do rio Tana, palco de confrontos mortíferos entre tribos rivais, onde terão sido lançados mais de 100 cadáveres.

"Desconhecemos quem ali está enterrado, mas do que se pode ver é possível que sejam mais do que as 100 pessoas inicialmente anunciadas", disse uma fonte policial que pediu para não ser identificada, citada pela France Presse

O chefe provincial da polícia, Aggrey Adoli, confirmou a descoberta da vala comum e afirmou que ia ser pedida à justiça autorização para exumar os corpos.

"A única forma de os identificar é exumá-los e isso só poderá ser feito com a autorização de um tribunal", esclareceu.

A vala comum foi descoberta na zona de Garsen, onde se registaram confrontos entre tribos rivais de que resultaram mais de 100 mortos desde os meados de agosto.

Cerca de mil efetivos das forças especiais foram enviados já este mês para aquela região, onde a polícia não conseguiu controlar o recente ciclo de violência.

As rivalidades são ancestrais entre os orma e os pokomo relativamente às pastagens e furos de rega nas proximidades do rio Tana.

No entanto, observadores e habitantes da região consideram que os atuais atos de violência, inéditos pela sua amplitude e intensidade, nada têm a ver com os antigos diferendos, mas radicam em questões políticas, dada a aproximação das eleições gerais de 2013.

Outras Notícias

Outros Conteúdos GMG