Pandemia

Desconfinamento: que países já têm liberdade e como para lá caminham

Desconfinamento: que países já têm liberdade e como para lá caminham

Islândia, Espanha e Inglaterra avançaram mais depressa do que Portugal. EUA está a caminho do normal. Cidadãos vacinados têm mais liberdade de movimentos, é uma evidência.

A Europa e os EUA reabrem a várias velocidades nesta nova fase de desconfinamentos, mas o novo normal está a instalar-se progressivamente. Veja aqui o panorama de 10 países.

Islândia: primeiro país da Europa a reabrir

71% dos 356 mil habitantes da Islândia estão vacinados. Desde 26 de junho, a Islândia voltou ao normal pré-pandémico, à frente de toda a Europa: não há máscaras obrigatórias nem distanciamento social, as discotecas já reabriram, restaurantes e teatros têm também já lotação total.

França: é obrigatório ter Passe em agosto

França vai exigir o Passe de Saúde à entrada de restaurantes, bares, museus, cinemas e espaços do grande público. Aos adolescentes (12- 17 anos) será exigido o Passe em setembro. 45% dos franceses estão vacinados. A vacinação obrigatória chegou a estar prevista para funcionários de hospitais e de bares, mas a medida caiu. No entanto, aqueles, a partir de setembro podem ser suspensos sem remuneração se não tomarem vacina.

Espanha: já não há máscaras desde junho

PUB

Espanhóis já não usam máscara ao ar livre desde junho e o recolher obrigatório caiu em maio. Estádios e pavilhões reabrem com público em agosto. Em 46 milhões, 56% estão vacinados. Os estrangeiros com vacina podem entrar em Espanha - teste é exigido a ingleses.

Grécia: acessos limitados a espaços interiores

Na Grécia, o pleno acesso a espaços públicos fechados está limitado a cidadãos que estejam totalmente vacinados - a medida vigora até 31 de agosto, pelo menos. O país tem 10 milhões de habitantes; 46% dos gregos estão totalmente vacinados. Os turistas já reentram desde maio mas têm de apresentar atestado de vacinação completo ou um teste PCR negativo.

Polónia: hotéis funcionam com 75% da lotação

Em junho, os limites de capacidade para espetáculos, eventos desportivos e nas igrejas foram elevados para 50%; aos hotéis é permitida uma taxa de ocupação até 75%. A Polónia reabriu centros comerciais, estádios e pavilhões e restaurantes em maio. Entre os 37 milhões de polacos, a taxa de vacinados é agora de 45%.

Alemanha: em agosto volta a normalidade

Vai suspender restrições sociais assim que os 83 milhões de habitantes estiverem vacinados (taxa atual: 53%), o que deve suceder em agosto. O teletrabalho já não é obrigatório. Vacinados e recuperados têm liberdade desde maio.

Estados Unidos: medidas de emergência a cair

Ainda não suspendeu restrições de viagens a estrangeiros. A 15 de junho, Nova Iorque reabriu lotação total de lojas, restaurantes e ginásios - mas há medidas de mitigação nos transportes públicos. Califórnia, Nova Jérsia, Connecticut, Florida e Illinóis suspenderam a maioria das medidas de emergência. Escolas reabrem em setembro. 49% de vacinados em 328 milhões de norte-americanos.

Inglaterra: o dia da liberdade já lá chegou

Desde 19 de julho tudo mudou: discotecas e bares abertos, estádios, ginásios e igrejas também. Não há máscaras, distanciamento, há ajuntamento. 57% dos 55 milhões de habitantes estão vacinados. Escócia, País de Gales e Irlanda do Norte vão reabrir mais lentamente.

Israel: fronteiras vão abrir a vacinados

O país impôs um dos programas de vacinação mais rápidos do mundo (61% de 9 milhões de habitantes vacinados). Maioria das restrições caiu a 15 de junho, mas 10 dias depois aumentaram os casos e as máscaras voltaram nos espaços fechados. Em agosto, Israel reabre fronteiras aos vacinados.

Itália: piscinas e estádios só com vacinação

Reabertas piscinas, ginásios e estádios aos vacinados. Italianos deixaram de usar máscara ao ar livre a 28 de junho, recolher obrigatório caiu a 21 de junho. Restaurantes servem no interior há dois meses. Não há quarentena para viajantes da UE e Schengen desde maio. 51% de 60 milhões vacinados.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG