Mundo

Despedido por falar nas vantagens das alterações climáticas

Despedido por falar nas vantagens das alterações climáticas

O jornalista francês Philippe Verdier escreveu um livro controverso sobre alterações climáticas e foi despedido. Isto porque explorou na obra as vantagens da subida de temperatura no seu país.

"Sempre damos uma visão catastrofista, mas creio que também há que mostrar o positivo", referiu Verdier. à imprensa francesa. O jornalista da "France 2 Televisión", onde trabalhou 20 anos como pivô da meteorologia, considera que a França em particular também pode estar agradecida às alterações climáticas.

A subida da temperatura tem contribuído para a redução de gastos com eletricidade, defende, e diminuído o número de pessoas infetadas pelo vírus da gripe e outras doenças associadas às baixas temperaturas.

Explica Verdier que não se apoiou numa investigação científica em particular mas em declarações proferidas em conferências sobre o tema. E que o seu ponto de vista não exclui o problema dos efeitos nocivos dessas alterações: de inundações a secas.

"Creio é que a maneira de apresentar as coisas vão só numa direção: dizer que as alterações climáticas são graves. Sim, são graves, mas podemos falar de algo positivo", declarou.

O caso da França também é especial no contexto europeu, assinalou, pois a Europa mediterrânica tem sido e será mais fustigada pelas intempéries.

"Se tivesse escrito um livro de jardinagem não me teriam despedido", declarou. A televisão pública francesa justifica a decisão dizendo que este comprometeu a imagem da empresa ao defender opiniões pessoais desta natureza.

O livro "Climat Investigation", lançado em outubro, denuncia ainda os conflitos de interesses nas questões do clima, os cientistas e jornalistas que estarão a ser manipulados, o trabalho de bastidores de algumas ONG.

Phillipe Verdier trabalha agora na edição francesa da "Russian Today".

Outras Notícias

Outros Conteúdos GMG