Mundo

Detetado primeiro caso do novo coronavírus em Londres

Detetado primeiro caso do novo coronavírus em Londres

Uma mulher que chegou a Londres num voo procedente da China é o primeiro caso de contágio do novo coronavírus Covid-19 detetado na capital britânica, anunciou esta quarta-feira Chris Whitty, consultor médico do governo britânico.

A mulher, que contraiu o vírus na China e com os sintomas a manifestarem-se após aterrar no aeroporto de Heathrow, vai ser internada no hospital St. Thomas de Londres, que possui instalações próprias para o tratamento de doenças infeciosas.

Em simultâneo, o Ministério da Saúde britânico indicou que as 83 pessoas que se mantinham em quarentena no hospital Arrowe Park nos arredores de Liverpool (norte de Inglaterra) podem abandonar as instalações na quinta-feira e após duas semanas de internamento por precaução.

O empresário britânico Steve Walsh, considerado a fonte de contágio de 11 casos de Covid-19 no Reino Unido, França e Espanha após ter participado num congresso em Singapura, recebeu alta hospitalar.

Um porta-voz do Serviço Nacional de Saúde britânico (NHS, na sigla em inglês) afirmou que Walsh, 53 anos, recebeu alta após os dois testes com 24 horas de diferença terem dado resultado negativo, recuperando por completo da sua doença.

Os seus sintomas "eram leves, já não é contagioso e não supõe um risco para o resto dos cidadãos", assinalou esse porta-voz.

A epidemia provocada pelo coronavírus detetado em Wuhan causou já 1.115 mortos, dos quais 1.113 na China continental, onde se contabilizam mais de 44 mil infetados, 2.015 detetados nas últimas 24 horas, segundo o último balanço divulgado.

De acordo com as autoridades de saúde de Pequim o número total de mortos nas últimas 24 horas foi de 97.

O balanço é superior ao da Síndrome Respiratória Aguda Grave (SARS, na sigla em inglês), que entre 2002 e 2003 causou a morte a 774 pessoas em todo o mundo, a maioria das quais na China, mas a taxa de mortalidade permanece inferior.

O novo vírus, que provocou um morto em Hong Kong e outro nas Filipinas, atinge também a região chinesa de Macau (8 casos de infeção, porque dois tiveram hoje alta) e mais de duas dezenas de países, onde os casos de contágio superam os 350.

A situação motivou a marcação de uma reunião de urgência de ministros da Saúde dos países da União Europeia para quinta-feira, em Bruxelas, enquanto a Organização Mundial de Saúde (OMS) enviou uma equipa de especialistas para a China para acompanhar a evolução.

Outras Notícias

Outros Conteúdos GMG