Líbia

Detido líder da secreta líbia no regime de Kadafi

Detido líder da secreta líbia no regime de Kadafi

A Mauritânia anunciou, este sábado, ter detido o antigo chefe da secreta líbia Abdullah al-Senoussi, considerado uma das figuras mais importantes do regime de Kadafi e procurado pelo Tribunal Penal Internacional.

Al-Senoussi ajudou a esmagar a revolta contra o regime do ditador líbio, no ano passado, e o Tribunal Penal Internacional (TIP) acusa-o, juntamente com o filho de Kadafi, Seif al-Islam, de crimes contra a humanidade.

A agência mauritânia de informação anunciou, em comunicado, que al-Senoussi foi detido no aeroporto da capital, Nouakchott, quando chegava da cidade marroquina de Casablanca, com um passaporte maliano falso.

O porta-voz do ministro dos negócios estrangeiros líbio, Saad al-Shilmani, disse que a detenção ainda não foi confirmada.

Quando o regime de Kadafi foi deposto, na segunda metade de 2011, muitos dos ministros próximos do líder terão fugido dos rebeldes em direção ao Sahara, onde o regime há muito mantinha laços com grupos do deserto.

Seif al-Islam, filho do ditador, foi detido em novembro por combatentes no deserto no sul da Líbia. Tem estado detido sem acesso ao mundo exterior desde que as autoridades líbias afirmaram querer julgá-lo no país, apesar do mandado do TPI.

Na altura, algumas fontes anunciaram que também al-Senoussi tinha sido capturado e estava detido na cidade de Sabha. Mas foram levantadas suspeitas sobre essas alegações e o seu paradeiro nunca foi conhecido, o que reflete a situação pós-kadafi, em que milícias revolucionárias controlam muitas cidades sem que o governo de Tripoli tenha qualquer controlo.

PUB

Cunhado de Kadafi, al-Senoussi foi também um dos seis líbios julgados à revelia e condenados a prisão perpétua em França pelo atentado num voo comercial francês em 1989 que matou todos os 170 passageiros a bordo quando sobrevoava o Níger.

Os juízes do TPI emitiram em junho um mandado de captura de al-Senoussi, acusado de crimes contra a humanidade - homicídio e perseguição - por ter alegadamente orquestrado ataques contra civis nos primeiros dias da revolta que acabou por afastar Kadafi do poder.

Se for entregue ao tribunal de Haia, al-Senoussi será o primeiro suspeito de atrocidades na Líbia a ser detido por aquela autoridade.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG