Mundo

Detido líder sérvio acusado de genocídio

Detido líder sérvio acusado de genocídio

O antigo chefe militar dos sérvios da Bósnia Ratko Mladic, procurado há 16 anos por crimes de guerra, crimes contra a humanidade e genocídio, foi detido esta quinta-feira em território sérvio.

A operação para a detenção de Ratko Mladic foi lançada a partir de uma informação segundo a qual um homem identificado com Milorad Komadic "possuía alguns documentos de identificação de Ratko Mladic e era fisicamente muito parecido com ele".

A detenção foi confirmada esta quinta-feira de manhã pela Presidência Sérvia. "Em nome da República da Sérvia posso anunciar a prisão de Ratko Mladic. O processo de extradição está em curso", afirmou o presidente sérvio, Boris Tadic, durante uma conferência de Imprensa em Belgrado.

Comandante das forças sérvias na Bósnia entre os anos de 1992 e 1995, Mladic foi acusado de genocídio por um tribunal internacional de crimes de guerra, em 1995, na sequência do massacre de Srebrenica, em que morreram oito mil homens muçulmanos, e pelo longo cerco de 43 meses de Sarajevo.

Mladic manteve uma postura discreta depois da guerra da Bósnia - a mais grave guerra na Europa desde a Segunda Guerra Mundial - e acabou por desaparecer no início das década de 2000. Apesar de fugitivo, manteve-se como uma sombra sobre a Sérvia, já que a União Europeia condicionou a adesão de Belgrado à detenção do antigo líder militar.

Outros Artigos Recomendados