Alemanha

Detido por anunciar ataque contra muçulmanos na Internet

Detido por anunciar ataque contra muçulmanos na Internet

Um homem foi detido na Alemanha depois de anunciar na Internet que iria atacar muçulmanos, inspirado no atentado a duas mesquitas em Christchurch, na Nova Zelândia.

O suspeito, de 21 anos, foi detido no sábado em Hildesheim, na Baixa Saxónia, norte do país, anunciou hoje o Departamento Central de Contraterrorismo alemão, que apreendeu, em casa do suspeito, armas que "poderão ter sido compradas para executar os seus planos de ataque" e, nos seus dispositivos eletrónicos, "arquivos com conteúdo de extrema-direita".

O detido anunciou, numa conversa na Internet, que estava a preparar um ataque contra muçulmanos, inspirado no atentado cometido em março de 2019 em duas mesquitas em Christchurch, no qual 51 pessoas foram mortas. "Ele pretendia agir da mesma maneira", informa a nota das autoridades.

Um juiz ordenou esta segunda-feira que o homem fosse mantido sob custódia por suspeita de perturbação da paz, ameaça de crimes e financiamento do terrorismo, uma acusação que, segundo os procuradores, decorre da posse de armas.

O terrorismo de extrema-direita é considerado pelas autoridades alemãs a primeira ameaça à segurança do país. Vários ataques foram realizados nos últimos meses.

Em junho de 2019, um político conservador eleito que aprovava o acolhimento de migrantes foi assassinado em casa. O suspeito do crime está ligado ao movimento neonazi. Em outubro, no dia de Yom Kippur, um homem, também próximo da extrema-direita, tentou entrar numa sinagoga na cidade de Halle para cometer um massacre. Quando não conseguiu entrar no local de culto, matou um transeunte e um empregado de um café antes de ser preso. Já em fevereiro deste ano, em Hanau, perto de Frankfurt, um homem matou nove pessoas, todas de origem estrangeira, em dois bares de narguilé, antes de se matar.

Outros ataques desse tipo foram frustrados nos últimos meses no país.

PUB

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG