Mundo

Detidos na Bulgária os alegados pais biológicos de "Maria"

Detidos na Bulgária os alegados pais biológicos de "Maria"

A polícia búlgara deteve, esta quinta-feira, um casal de etnia cigana e está agora a tentar comprovar se são os pais biológicos de "Maria", a menina que se encontra há uma semana sob custódia das autoridades gregas e que poderá ter sido vendida por 250 euros.

A paternidade biológica do casal detido em Gurkovo não está ainda confirmada pelas autoridades búlgaras, mas a imprensa local adianta que há testes que o confirmam.

Sasha e Atanas Rusev estão a ser investigados pelas polícias grega e búlgara há 24 horas, na sequência de uma informação avançada pelos pais detidos preventivamente na Grécia, que mantiveram a custódia ilegal de "Maria".

O irmão de Atanas Rusev disse ao canal de televisão Nova que o casal tinha "abandonado" um filho na Grécia, porque não tinham dinheiro. Testemunhos de vizinhos chegam a referir que a pequena "Maria" foi vendida por 250 euros.

A imprensa búlgara avança ainda que Atanas Rusev tem cadastro por assalto e que o casal estava separado devido a supostos problemas psiquiátricos de Sasha.

Por sua vez, a alegada mãe biológica de "Maria" disse, no momento da detenção, que não se lembrava o que se tinha passado ao certo com a filha, porque tudo se tinha passado "há muitos anos".

Segundo a polícia grega, "Maria" terá nascido a 21 de janeiro de 2009 na cidade de Lamia, onde Sasha trabalhava no cultivo de campos agrícolas. Suspeita-se que a criança tenha sido levada por uma rede de adoção ilegal.

Entre 2009 e 2011, operaram várias redes de adoção ilegal na Grécia, entretanto desativadas pelas autoridades.

Quanto ao registo de nascimento, Sasha alega que usou o apelido de Atanas, apesar de não estar ainda casada.

Entretanto, na Grécia, este caso deu origem a mais três detenções por suspeita de sequestro de crianças. Os suspeitos são também de etnia cigana, facto que procupa esta comunidade na Grécia, que agora teme ser alvo de discriminação.