O Jogo ao Vivo

Pontos-chave

Dia 12 de invasão: a evacuação falhada de Mariupol e o custo dos danos na Ucrânia

Dia 12 de invasão: a evacuação falhada de Mariupol e o custo dos danos na Ucrânia

No 12.º dia da invasão da Ucrânia pela Rússia, a terceira ronda de negociações terminou com "pequenos avanços". A esperança de evacuação de civis desapareceu após Kiev acusar as tropas russas de sabotar os corredores humanitários, um deles passando "por uma estrada minada". Estes são os pontos-chave desta segunda-feira:

- A Rússia anunciou a abertura de corredores humanitários para os civis deixarem a Ucrânia, com rotas pela Bielorrússia e pela Rússia. Porém, um representante do Comité Internacional da Cruz Vermelha disse que a rota proposta pela Rússia aos civis para deixarem a cidade de Mariupol passa "por uma estrada minada". A Ucrânia acusou a Rússia de voltar a "sabotar" a abertura de corredores humanitários para a evacuação das regiões de Kiev, Kharkiv, Donetsk e Kherson, continuando os bombardeamentos;

- Pelo menos 13 civis morreram num ataque aéreo a uma fábrica de pão na cidade ucraniana de Makariv, nos arredores de Kiev;

PUB

- Lviv atingiu os limites de sua capacidade de ajudar as pessoas deslocadas pelo ataque da Rússia à Ucrânia e pediu ajuda às organizações internacionais;

- O Kremlin fez saber que pode parar as operações militares na Ucrânia, se forem cumpridas certas exigências, como o reconhecimento da Crimeia enquanto território russo e de Lugansk e Donetsk enquanto estados independentes;

- Uma terceira rodada de negociações de conflito entre a Ucrânia e a Rússia terminou com "pequenos desenvolvimentos positivos" relacionados a potenciais corredores humanitários;

- O ministro da Infraestrutura da Ucrânia, Oleksander Kubrakov, revelou que o país sofreu cerca de 9,19 mil milhões de euros em danos desde a invasão da Rússia;

- A China anunciou que "está a mediar" o conflito na Ucrânia e que vai fazer esforços para oferecer assistência humanitária, o que "não deve ser politizado";

- A Rússia já mobilizou 95% das suas tropas na Ucrânia e disparou 600 mísseis desde o início da invasão. As forças russas continuam a montar o cerco à capital, Kiev, e às cidades de Kharkiv, Chernigov e Mariupol;

- A Ucrânia indicou que mais de 11 mil soldados russos foram mortos desde o início da invasão;

- A União Europeia está a trabalhar em novas sanções contra a Rússia, à luz da "negligência do Kremlin em relação aos civis" durante a ofensiva militar em curso na Ucrânia;

- A Nova Zelândia anunciou que serão impostas novas sanções "significativas" contra a Rússia, incluindo a oligarcas e empresas consideradas responsáveis ou associadas à invasão da Ucrânia. Também o Canadá anunciou novas sanções contra "10 cúmplices na invasão russa da Ucrânia, entre responsáveis do Governo e oligarcas;

- A Rússia elaborou uma lista de países "hostis", incluindo os Estados-membros da União Europeia, Estados Unidos, Reino Unido, Austrália e Canadá, entre outros, aos quais as empresas russas poderão pagar dívidas em rublos;

- Mais de 1,7 milhões de pessoas já fugiram da Ucrânia desde o início da invasão russa. O chefe da diplomacia da União Europeia, Josep Borrell, alertou para a possibilidade de chegarem à Europa cinco milhões de refugiados ucranianos.

- Portugal recebeu desde o início da invasão russa da Ucrânia 1670 pedidos de proteção temporária.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG