Dinamarca

Dinamarca vai repor controlo das fronteiras

Dinamarca vai repor controlo das fronteiras

A Dinamarca vai restabelecer o controlo alfandegário nas fronteiras com a Alemanha e a Suécia, anunciou o ministro das Finanças dinamarquês, na sequência de um acordo político entre o governo e a extrema-direita.

"Alcançámos um acordo para reintroduzir os controlos alfandegários nas fronteiras da Dinamarca o mais rapidamente possível", declarou o ministro Claus Hjort Frederiksen.

A medida dinamarquesa, que deve entrar em vigor dentro de duas a três semanas, segundo o ministro, vai traduzir-se em controlos sobretudo na fronteira com a Alemanha, mas também nos portos e na ponte de Oeresund, que liga a Suécia à Dinamarca.

A ideia dos controlos reforçados no interior da União Europeia, recentemente defendida por França e Itália para combater a imigração ilegal, foi proposta na Dinamarca pelo Partido do Povo Dinamarquês (PPD, extrema-direita), e pela líder, Pia Kjaergaard, como forma de combater a imigração ilegal e a criminalidade organizada.

"Nos últimos anos, assistimos a um aumento do crime transfronteiriço e isto é feito para prevenir este problema. Vamos construir novas instalações na fronteira germano-dinamarquesa com novos equipamentos eletrónicos", disse o ministro.

A decisão dinamarquesa é anunciada um dia antes da data prevista para a apresentação pela Comissão Europeia aos ministros do Interior dos 27 reunidos em Bruxelas as novas condições para uma reintrodução temporária dos controlos nas fronteiras dentro do Espaço Schengen.

A Dinamarca é um dos 25 países que integram o Espaço Schengen, criado para permitir a cerca de 400 milhões de pessoas circular livremente da Finlândia à Grécia, de Portugal à Polónia, sem mostrar o passaporte.

Dos 27 Estados-membros da UE, apenas o Reino Unido e a Irlanda, países insulares, decidiram manter-se fora do Espaço Schengen, que inclui em contrapartida três países não membros da UE: Suíça, Noruega e Islândia.

Outras Notícias