Invasão do Capitólio

Diretor do Serviço Secreto dos EUA adia reforma perante polémica em investigação

Diretor do Serviço Secreto dos EUA adia reforma perante polémica em investigação

O diretor do Serviço Secreto dos EUA, James Murray, adiou a sua entrada na reforma, enquanto a agência lida com a investigação do inspetor-geral e o inquérito do Congresso relacionados com a falta de mensagens em torno do ataque ao Capitólio, em 6 de janeiro.

Murray, que se deveria reformar este fim de semana, vai permanecer no cargo "para a melhoria da agência" e dirigi-la durante as investigações, disse o porta-voz, Anthony Guglielmi, na quinta-feira.

Murray, um veterano de 27 anos no Serviço Secreto, já tem uma posição na Snap, uma empresa de redes sociais conhecida pela sua aplicação, a Snapchat.

PUB

O adiamento da reforma por parte de Murray ocorre quando a agência está a enfrentar críticas depois de ter admitido que mensagens de texto nas proximidades temporais do ataque ao Capitólio foram apagadas.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG