Mundo

Dirigentes europeus consternados com ataque em Liège

Dirigentes europeus consternados com ataque em Liège

Os dirigentes de instituições europeias manifestaram-se consternados e horrorizados com o ataque a tiro perpetrado na cidade belga de Liège que fez quatro mortos, incluindo o autor dos disparos, e 123 feridos.

O presidente do Conselho Europeu e antigo primeiro-ministro belga, Herman Van Rompuy, manifestou-se "completamente perturbado pelos atrozes homicídios", através de uma mensagem vídeo, publicada no sítio do Conselho Europeu, onde confessa: "Perante o inexplicável, fico perplexo e horrorizado".

O presidente da Comissão Europeia, José Manuel Durão Barroso, transmitiu ao recém-empossado primeiro-ministro belga, Elio di Rupo, uma mensagem em que se declarou "profundamente entristecido" pelo ataque, levado a cabo por um homem de 33 anos identificado como Nordine Amrani.

O presidente do Parlamento Europeu, Jerzy Buzek, declarou-se "profundamente consternado" e denunciou o "acto cobarde".

O ataque foi perpetrado a meio do dia na praça Saint-Lambert, no centro de Liège (sudeste).

Segundo a procuradora real, Danièle Reinders, Nordine Amrani suicidou-se com um tiro na cabeça, depois de lançar vários artefactos explosivos para a praça e abrir fogo com uma espingarda de assalto kalashnikov contra pessoas que passavam no local.