Saúde

Já são três os casos de coronavírus em França

Já são três os casos de coronavírus em França

Três casos de coronavírus foram confirmados em França, dois em Paris e outro em Bordéus.

A atualização - de dois para três casos - foi feita esta sexta-feira pela ministra da Saúde francesa, Agnès Buzyn.

O primeiro caso foi registado em Bordéus, onde um homem de 48 anos se deslocou a um hospital queixando-se de febre e tosse, sintomas associados ao vírus. O diagnóstico foi confirmado pelos médicos e o paciente foi tratado durante o dia, permanecendo isolado "em observação". De acordo com a imprensa francesa, o doente veio recentemente da China, de onde é originário, e esteve em contacto com pessoas da cidade de Wuhan, tendo passado pela Holanda antes de rumar a França.

O segundo caso, sobre o qual há menos informação, foi registado em Paris. Sabe-se que o doente foi tratado e está hospitalizado, também em isolamento. "Sabemos que essa pessoa viajou para a China, mas não sabemos se esteve em Wuhan", disse a ministra, pedindo aos viajantes que regressam do país que, "ao menor sinal", liguem para o número de emergência médica.

O terceiro caso, confirmado há momentos, corresponde a um cidadão que também tinha regressado recentemente da China.

Vírus já matou 26 pessoas

O vírus já causou pelo menos 26 mortos, dois deles fora da cidade chinesa de Wuhan, onde se começou a propagar. Os sintomas são mais intensos do que uma gripe e incluem febre, dor, mal-estar geral e dificuldades respiratórias, incluindo falta de ar.

No território continental chinês há registo de mais de 800 pessoas infetadas e cerca de mil casos suspeitos, tendo sido detetados outros casos em Macau, Tailândia, Taiwan, Hong Kong, Coreia do Sul, Japão, Nepal, Estados Unidos da América e França. As autoridades chinesas colocaram em quarentena, impedindo entradas e saídas, três cidades onde vivem mais de 18 milhões de pessoas - Wuhan e as vizinhas Huanggang e Ezhou.

Em Portugal, a Direção-Geral da Saúde anunciou a ativação dos dispositivos de saúde pública de prevenção, enquanto o Centro Europeu de Controlo de Doenças elevou para moderado o risco de contágio na União Europeia, continuando a monitorizar a situação e a realizar avaliações rápidas de risco.

O comité de emergência da Organização Mundial de Saúde, reunido na terça e quarta-feira, em Genebra, na Suíça, optou por não declarar emergência de saúde pública internacional, receando que seja demasiado cedo, embora reconheça que há esse risco.

Outras Notícias

Outros Conteúdos GMG