EUA

Dois homens condenados pelo homicídio de Malcolm X vão ser absolvidos

Dois homens condenados pelo homicídio de Malcolm X vão ser absolvidos

Dois homens condenados pelo assassínio do ativista norte-americano Malcom X, um dos maiores símbolos da luta contra o racismo, devem ser absolvidos hoje, quinta-feira, mais de 50 anos depois.

O jornal "The New York Times" noticiou que Muhammad Aziz e o falecido Khalil Islam, que passou décadas na prisão pelo crime, serão absolvidos após uma investigação de quase dois anos dos seus advogados e do gabinete do procurador de Manhattan.

"Esses homens não receberam a justiça que mereciam", disse Cyrus Vance, que anunciou, no Twitter, que o seu gabinete e um escritório de advocacia se iriam trabalhar para anular as condenações, dando mais detalhes na quinta-feira, no dia do julgamento.

Uma das figuras mais controversas e convincentes da era dos direitos civis, Malcom X ganhou fama como principal porta-voz do Nação do Islão, proclamando a mensagem da organização negra muçulmana na época: o separatismo racial como um caminho para a autorrealização.

Malcom X é famoso por encorajar os negros a reivindicar os direitos civis "por todos os meios necessários".

O ativista que nasceu com o nome Al Hajj Malik Al-Shabazz foi morto a tiro durante um discurso no teatro Audubon Ballroom, em Harlem, em 21 fevereiro de 1965.

Muhammad Aziz, Khalil Islam e um terceiro homem, Mujahid Abdul Halim -- conhecido na época do assassínio como Talmadge Hayer e mais tarde como Thomas Hagan -, foram condenados por homicídio em março de 1966 e sentenciados a prisão perpétua.

PUB

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG