Mundo

Dois jiadistas iraquianos executados na Jordânia em retaliação ao Estado Islâmico

Dois jiadistas iraquianos executados na Jordânia em retaliação ao Estado Islâmico

A Jordânia executou, esta quarta-feira, dois jiadistas iraquianos, reivindicados pelo Estado Islâmico, em retaliação à execução de um piloto jordano, alegadamente queimado vivo pelo grupo extremista, informou o porta-voz do governo.

Sajida Al-Rishawi, condenada à morte pela participação nos ataques terroristas de 2005 em Amã, e Ziad Karbouli, responsável da al-Qaeda, foram executados pelas 4 horas locais (2 em Portugal continental), disse à AFP o porta-voz, Mohammad Momani.

A decisão de executar a iraquiana foi anunciada depois do grupo Estado Islâmico ter divulgado um vídeo em que afirma ter queimado vivo o piloto jordano, capturado em dezembro, no qual divulga alegadas imagens do ato.

O vídeo, segundo agências internacionais, mostra um homem envolto em chamas dentro de uma cela metálica.

A televisão jordana anunciou na terça-feira também que o rei Abdalá II cancelou a sua visita aos Estados Unidos, onde se deveria reunir com o vice-Presidente norte-americano Joe Biden.

A viagem tinha como objetivo discutir com as autoridades norte-americanas a luta contra o terrorismo e os esforços para libertar o piloto jordano detido em dezembro pelos extremistas da Síria quando participava em ataques da coligação contra o autodenominado Estado Islâmico.