Noruega

Dois mortos e 21 feridos em "ato terrorista" contra bar gay em Oslo

Dois mortos e 21 feridos em "ato terrorista" contra bar gay em Oslo

Duas pessoas foram mortas e pelo menos 21 outras ficaram feridas num ataque armado perto de uma zona de bares no centro de Oslo, Noruega, na madrugada deste sábado. A Polícia norueguesa está a tratar o caso como um "ato terrorista". Um suspeito foi detido.

O ataque, ocorrido à primeira hora da madrugada, aconteceu em três locais próximos uns dos outros, no centro da capital norueguesa, nomeadamente à entrada de um clube de jazz, de uma loja de comida take-away e no exterior e interior de um bar gay, o London Pub, que estava lotado. De acordo com a imprensa do país, o caso aconteceu na véspera da realização de um desfile LGBTQIA+ na cidade, marcado para esta tarde e entretanto cancelado pela organização.

"A Polícia está a investigar o incidente como um ato de terrorismo", confirmaram as autoridades, que estão a investigar a existência de "qualquer ligação" entre a marcha e o ataque, que provocou a morte de duas pessoas, em frente ao bar, e deixou outras 21 feridas, dez das quais gravemente.

"Tanto quanto sabemos nesta fase, houve apenas uma pessoa que cometeu este ato e está sob nossa custódia", adiantou o responsável Tore Barstad, numa conferência de imprensa, dando conta da detenção de um cidadão norueguês de 42 anos e origem iraniana, cuja casa foi alvo de buscas e que era conhecido da Polícia, que recebeu os primeiros alertas à 1.14 horas e deteve o suspeito cinco minutos depois.

A presença policial foi reforçada em toda a capital para lidar com eventuais incidentes.

"Ataque horrível e profundamente chocante"

"O tiroteio no exterior do London Pub, em Oslo, ontem à noite é um ataque horrível e profundamente chocante contra pessoas inocentes", reagiu o primeiro-ministro norueguês, Jonas Gahr Støre. "Ainda não sabemos as razões deste ato terrível, mas, aos homossexuais que agora têm medo e estão de luto, quero dizer que estamos todos convosco", escreveu, no Facebook.

PUB

A Noruega, onde a ocorrência de casos como este não é comum, foi palco de ataques em 22 de julho de 2011, quando o extremista de direita Anders Behring Breivik matou 77 pessoas num bombardeamento à sede do Governo em Oslo e num tiroteio num comício de jovens trabalhistas na ilha de Utøya.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG