Reação

Donohoe "vai ser excelente presidente do Eurogrupo", garante Centeno

Donohoe "vai ser excelente presidente do Eurogrupo", garante Centeno

O presidente cessante do Eurogrupo, Mário Centeno, disse esta quinta-feira não ter dúvidas de que o seu sucessor, o irlandês Paschal Donohoe, vai ser um "excelente" líder do fórum de ministros das Finanças da zona euro.

"Tínhamos três excelentes candidatos, todos muito competentes, ministros experientes e membros do Eurogrupo altamente considerados. Não tenho de vos apresentar o Paschal, mas deixem-me apenas dizer que foi um verdadeiro prazer trabalhar com o Paschal nos últimos dois anos e meio. Os seus contributos para os trabalhos do Eurogrupo foram muito valiosos", declarou Centeno, na conferência de imprensa após a eleição.

"Não duvido que o Paschal vai ser um excelente presidente do Eurogrupo, e desejo-lhe todo o sucesso", declarou.

Na despedida da Europa, dirigindo pela última vez, desde Lisboa, os trabalhos do Eurogrupo, realizado ainda por videoconferência, Centeno garantiu ainda ter sido "uma honra" trabalhar no fórum, como ministro e como líder, observando que quase todo o seu mandato como presidente decorreu entre crises.

"Podemos dizer que os últimos dois anos e meio foram, na maior parte, um intervalo entre duas crises, a soberana e a pandémica. Usámos este período de forma sábia, moldando um novo papel para o Eurogrupo", apontou.

Garantindo que "foi uma honra participar no importante trabalho do Eurogrupo nos últimos cinco anos, primeiro como membro, e depois como presidente", Mário Centeno apontou que "também foi um prazer trabalhar com colegas talentosos de todo o continente num verdadeiro espírito de cooperação europeia".

Paschal Donohoe, ministro de centro-direita de 45 anos, foi hoje eleito presidente do Eurogrupo após bater na segunda volta a favorita Nadia Calviño, ministra socialista espanhola, que tinha o apoio declarado dos dois 'pesos pesados' da zona euro, Alemanha e França.

O ministro irlandês torna-se o quarto presidente da história do Eurogrupo, depois do luxemburguês Jean-Claude Juncker (2005-2013), do holandês Jeroen Dijsselbloem (2013-2018) e do português Mário Centeno (2018-2020), e dirigirá pela primeira vez os trabalhos do grupo na reunião agendada para 11 de setembro próximo.

Outras Notícias