Mundo

"Falso" intérprete do funeral de Mandela diz que é "campeão" da língua gestual

"Falso" intérprete do funeral de Mandela diz que é "campeão" da língua gestual

O intérprete de língua gestual encarregue da cerimónia de homenagem a Nelson Mandela já reagiu às acusações que recaíram sobre si nos últimos dias, garantindo que é um "campeão" da língua gestual, mas teve um ataque de esquizofrenia durante as celebrações.

Thamsanga Jantjie, de 34 anos, já veio defender o trabalho que fez na homenagem a Mandela, depois de ter sido acusado por especialistas de ser um "falso" intérprete de língua gestual e inventar gestos que não existem em nenhuma língua conhecida.

Jantjie garante que é um "campeão da língua gestual", mas sofreu um ataque de esquizofrenia durante o evento. "Não podia fazer nada. Estava sozinho numa situação muito perigosa. Tentei controlar-me e não mostrar ao mundo o que estava a acontecer", explicou a um jornal local.

O sul africano garante, igualmente, que tomou a medicação apropriada para prevenir o episódio e que não sabe o que espoletou o ataque.

Na terça-feira, a sua prestação enquanto intérprete de língua gestual foi muito criticada pela comunidade sul-africana e internacional de surdos, bem como de intérpretes. Pouco depois do evento, Jantjie deu uma entrevista a uma rádio local, dizendo que estava muito contente com a sua performance durante a cerimónia de homenagem a Nelson Mandela.

"Acho que fui um campeão da língua gestual. Absolutamente", declarou. Agora, admite que as coisas talvez não tenham corrido tão bem como esperava e que tal se deve à psicopatologia de que padece.

A controvérsia, no entanto, continua. O governo sul africano, responsável pela cerimónia, garante que não sabe quem ele é. O Congresso Nacional Africano diz o mesmo (apesar de Jantjie já ter participado noutros eventos da mesma organização), mas assegura que vai continuar a investigar o caso.

Outras Notícias

Outros Conteúdos GMG