Mundo

"Nação arco-íris" mostrou-se na casa do falecido presidente

"Nação arco-íris" mostrou-se na casa do falecido presidente

Milhares de pessoas passaram este sábado diante da casa do Nelson Mandela, no bairro de Hughton, em Joanesburgo, numa grande demonstração de unidade da variada sociedade sul-africana na homenagem ao homem que sonhou com "a nação arco-íris".

Num ambiente bastante emocionado, pessoas das comunidades negra, branca e indiana da África do Sul juntaram-se diante da casa onde viveu o antigo presidente sul-africano, empunhando cartazes com palavras de agradecimento a Mandela, levando flores ou, como algumas crianças, brinquedos de peluche.

"Estou aqui para prestar respeito ao grande homem, ele fez muito por nós. Infelizmente, não vamos poder ir a Qunu (onde, no dia 15, vai realizar-se o funeral), e por isso estamos aqui", disse à Lusa Zindi Mblatha, acompanhada pelo marido e dois filhos, ainda crianças.

O ambiente, que muitos compararam ao espírito que acompanhou o Mundial de Râguebi de 1998, comoveu até às lágrimas diversos presentes, como uma mulher que chorou quando entoava o hino nacional.

Um forte cordão policial isolava a mansão do casal Mandela e pessoas faziam fila para deixarem uma última mensagem em cartazes que foram ali colocados e que exibiam bandeiras de vários países, testemunho da passagem de muitos estrangeiros pelo local.

Diante de uma banca que montou na sexta-feira e onde vende camisas e emblemas com o rosto de Mandela, Regina Makoko faz um horário de oito horas diárias no local.

A meio da próxima semana, vai empreender uma longa viagem até Qunu, na província do Cabo Oriental, onde, no dia 15, se realiza o funeral de Mandela.

"Se estiverem por lá, ver-me-ão a vender a mesma coisa", disse, rindo-se, para os jornalistas.

Outras Notícias

Outros Conteúdos GMG