bin Laden

Al-Qaeda confirma morte de bin Laden

Al-Qaeda confirma morte de bin Laden

A al-Qaeda confirmou a morte do seu líder, Osama bin Laden, numa declaração divulgada na Internet. Num comunicado difundido esta sexta-feira num sítio islamista da Internet, a rede terrorista prometeu prosseguir a "jihad" e avisou para actos de retaliação, referindo que "a alegria dos americanos em breve se tornará em tristeza".

A confirmação surgiu numa declaração colocada em sítios militantes e assinada pela "liderança geral" da al-Qaeda. O anúncio inicia a fase para nomeação de um sucessor de bin Laden. O adjunto, Ayman al-Zawahri, é agora a figura mais proeminente do grupo e muito provavelmente será o sucessor de Osama bin Laden.

A declaração, com a data de terça-feira, foi a primeira da al-Qaeda após a morte de bin Laden por um comando norte-americano durante um ataque em Abbottabad, no Paquistão.

A autenticidade do comunicado não foi confirmada, mas apareceu em "sites" onde o grupo coloca tradicionalmente as suas mensagens.

"Afirmamos que o sangue do Xeque guerreiro sagrado, Osama bin-Laden, Alá o abençoe, é precioso para nós e para todos os muçulmanos e não foi derramado em vão", de acordo com a declaração.

"Vamos continuar, com a vontade de Alá, a perseguir os americanos e seus agentes, no interior e no exterior dos seus países", acrescentou.

No texto, a al-Qaeda também apelou ao povo do Paquistão - "onde o Xeque Osama foi morto" - para se revoltar contra os líderes.