Fukushima

Suicídios no Japão atingem número recorde após desastre de Fukushima

Suicídios no Japão atingem número recorde após desastre de Fukushima

O número de suicídios no Japão aumentou significativamente após o sismo e tsunami que devastaram a região noroeste do território, a 11 de março do ano passado, divulgou esta sexta-feira o Governo nipónico.

Só no mês de maio do ano passado, 3375 pessoas cometeram suicídio no Japão, mais de um décimo do total anual e mais 20% face ao mês homólogo de 2010. No total, foram registados 30651 suicídios no Japão durante 2011.

"Um sentimento de ansiedade espalhou-se no seio da sociedade japonesa após a catástrofe e suspeitamos que este sentimento possa ter sido um fator de agravamento", declarou um responsável do Governo nipónico.

O mesmo representante acrescentou que os casos de suicídios foram particularmente elevados entre homens com cerca de 30 anos.

O Japão tem uma das taxas de suicídios mais elevadas do mundo, segundo a Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Económico (OCDE).

O forte sismo, de magnitude 9,0 na escala de Richter, e o «tsunami» fizeram cerca de 20 mil mortos ou desaparecidos e provocaram prejuízos milionários com consequências graves para a economia japonesa.

O tsunami provocou igualmente um acidente na central nuclear de Fukushima Daiichi, o pior desde o acidente da central ucraniana de Chernobil, em 1986.

ver mais vídeos