Brasil

"Doutor Bumbum" detido no Rio de Janeiro

"Doutor Bumbum" detido no Rio de Janeiro

O cirurgião plástico, Denis Furtado, que estava foragido desde domingo, foi detido esta quinta-feira, num centro comercial da Barra da Tijuca, no Rio de Janeiro (Brasil) e, mais tarde, a mãe também foi detida. Ambos estavam a ser procurados devido a uma operação clandestina que resultou na morte de uma paciente.

O médico de 45 anos foi detido a cerca de 7 quilómetros do condomínio onde mora, na mesma cidade, na sequência de uma denúncia.

A mãe, Maria Furtado, de 66 anos, que, entretanto, foi também detida, é suspeita de envolvimento no procedimento que causou a morte de uma paciente do filho, uma bancária de 46 anos. Também a namorada de 19 anos, detida no domingo, é suspeita de ter participado no procedimento.

Operada no domingo, no apartamento de Denis Furtado, a bancária, Lilian Calixto, sentiu-se indisposta e foi hospitalizada. Após quatro paragens cardíacas, acabou por morrer.

O cirurgião usou uma controversa técnica de aumento das nádegas, injetando polimetilmetacrilato (PPMA). Esteve desaparecido até esta quinta-feira.

Maria Furtado, que também era médica - mas tinha o registo profissional cassado -, terá sido assistente no procedimento, bem como a técnica de enfermagem Rosilane da Silva, de 24 anos. A namorada trabalhava como secretária de Denis. Todos os envolvidos foram indiciados por homicídio qualificado e associação criminosa.

Ainda durante esta quinta-feira, o Conselho Regional de Medicina do Distrito Federal cassou o registo do médico, mas a decisão ainda deve ser submetida ao Conselho Federal de Medicina.

Em 2016, o cirurgião plástico já tinha sido alvo de uma interdição cautelar para o exercício da profissão, suspensa três meses depois. Denis não poderia atuar profissionalmente no Rio de Janeiro sem autorização do Conselho Regional de Medicina do Rio.

Além disso, o médico tem também sete anotações no registo criminal, uma delas por homicídio, segundo refere o jornal "O Globo".

Num vídeo divulgado pelos meios de comunicação brasileiros, o médico diz ser "uma injustiça o que estão a falar" dele, de o "acusarem de não ser médico", já que tem o registo ativo. Denis Furtado, que revela que já foram realizadas nove mil cirurgias semelhantes (bioplastias), disse que "uma fatalidade acontece com qualquer médico".

Depois de ser capturado, o médico deu uma conferência de imprensa numa delegacia da Barra da Tijuca, bairro da zona oeste do Rio de Janeiro, alegando que a cirurgia realizada em era legal.

O clínico também explicou que fugiu das autoridades porque depois do incidente pensou que seria atacado por "vingança da família ou de algum criminoso".

"Este procedimento pode ser feito em qualquer área especializada onde um médico treinado está presente, desde que ele conheça a técnica, que já foi realizada em mais de nove mil procedimentos e que nunca teve uma complicação", disse o médico na delegacia.

"Eu considero-me inocente, ela deixou a minha casa e horas depois disse-me que estava tonta. Cheguei no hospital, ela estava a andar (...) O médico de plantão [no hospital] chamou-me três vezes porque ela parecia estar com trombose", acrescentou.

Com quase um milhão de seguidores, o médico brasileiro era uma celebridade na Internet e usava as redes sociais para divulgar seu trabalho, afirmando ter realizado cerca de cinco mil procedimentos cosméticos em toda a sua carreira.