Espanha

Surto de listeriose já causou três mortos e cinco grávidas perderam bebés

Surto de listeriose já causou três mortos e cinco grávidas perderam bebés

O surto de listeriose em Espanha já atingiu 204 pessoas, causou três mortes e provocou cinco abortos, segundo o último balanço das autoridades espanholas divulgado esta sexta-feira.

O Centro de Coordenação de Alertas e Emergências em Saúde (Ccaes) do Ministério da Saúde anunciou hoje a terceira morte de uma pessoa que consumiu algum dos produtos contaminados.

A vítima é um homem de 72 anos, doente terminal com cancro no pâncreas.

Até agora era conhecida a morte de uma idosa de 90 anos internada no hospital Virgen del Rocío, na cidade de Sevilha, e a de outra mulher de 74 anos que permaneceu no mesmo centro de saúde.

As autoridades anunciaram ainda que foram registados dois novos abortos na Andaluzia e um em Madrid, elevando para cinco o número de casos registados na sequência do surto de listeriose.

A Junta de Andaluzia confirmou hoje que as duas mulheres grávidas de oito e 32 semanas que se encontravam internadas nos hospitais sevilhanos de Virgen Macarena e Virgen del Rocío perderam os bebés.

Uma outra mulher grávida, que também consumiu carne contaminada, foi internada num hospital em Madrid e sofreu um aborto no primeiro trimestre da gravidez, segundo a Direção Geral de Saúde Pública.

A listeriose é uma infeção causada pela bactéria 'Listeria monocytogenes', habitualmente associada ao consumo de alimentos contaminados.

De acordo com informação disponível no 'site' SNS24 do Serviço Nacional de Saúde, a listeriose pode causar febre, calafrios, dores musculares, enjoo, vómitos, diarreia.

O surto de listeriose em Espanha começou em 15 de agosto e os produtos responsáveis pelo surto são "chincharrón" andaluz (gordura de porco frita), lombo de Jerez, lombo com pimentão, e lombo caseiro temperado com pimentão, da marca "La Mechá" tendo o Ministério da Saúde espanhol recomendado à população que não consuma os produtos de carne embalada desta marca.

Todos os produtos embalados identificados pelo Ministério da Saúde espanhol foram distribuídos na Andaluzia e em Madrid, exceto o lombo caseiro temperado com pimentão que foi comercializado apenas na Andaluzia.

Em Portugal, a Direção Geral de Alimentação e Veterinária esclareceu a 21 de agosto que a carne contaminada com a bactéria 'Listeria monocytogenes' da marca "La Mechá" e os produtos com origem no fabricante (Magrudis) espanhol, não são comercializados em território português.

Segundo as autoridades sanitárias espanholas existem 204 casos confirmados pela bactéria listeria, 197 na Andaluzia, a maioria em Sevilha (162).

Também existem casos confirmados em Cádiz (10), Granada (4), Huelva (17) e Málaga (4).

Do total de pessoas afetadas 58% são mulheres, 31 delas em estado de gestação, 25% dos casos têm 65 anos ou mais, praticamente sem diferenças por sexo (24 homens e 25 mulheres).

Nas demais comunidades, houve quatro casos confirmados em laboratório (um em Aragão, um em Castela e Leão, um na Extremadura e uma gestante de oito semanas em Madrid, que acabou por abortar).

Foram ainda notificados 66 casos prováveis e 58 suspeitos em Aragão, Astúrias, Canárias, Castela e Leão, Castela La Mancha, Catalunha, Comunidade Valenciana, Extremadura, Madrid e Melilla, muitos deles continuam em investigação.

Por outro lado, este Centro de Coordenação de Alerta lembra, mas sem o incluir na estatística nacional, o caso notificado a 23 de agosto de um cidadão inglês, diagnosticado em França a 16 de agosto e com histórico de consumo de carne de porco fria em Sevilha a 13 de agosto.