Emirados Árabes Unidos

Dubai assegura que princesa Latifa "está a receber tratamento em sua casa"

Dubai assegura que princesa Latifa "está a receber tratamento em sua casa"

A embaixada dos Emirados Árabes Unidos em Londres anunciou esta sexta-feira que a princesa Latifa, que disse ter sido feita "refém" pelo pai, emir do Dubai, está "a receber tratamento em sua casa" e que "o seu estado regista melhoras".

"A sua família confirmou que Sua Alteza está a ser tratada em casa, apoiada pela família e profissionais de saúde. O seu estado continua a melhorar e esperamos que ela retome a vida pública rapidamente", indicou a embaixada, em resposta à publicação pela BBC de um vídeo não datado no qual a princesa afirmou estar retida como "refém" no seu país e disse recear pela vida.

Previamente, e durante uma conferência de imprensa hoje de manhã, uma porta-voz da Alta Comissária da ONU para os Direitos Humanos, Liz Throssell, tinha pedido aos Emirados Árabes Unidos que fornecesse provas da vida da princesa Latifa e indicou que o caso foi colocado na quinta-feira à missão permanente dos Emirados em Genebra.

"Expressamos a nossa preocupação com a situação, à luz dos vídeos perturbadores que surgiram esta semana. Solicitamos mais informações e esclarecimentos sobre a situação atual" da princesa Latifa, declarou a porta-voz.

"Pedimos prova de vida", vincou Liz Throssell.

Além disso, a porta-voz insistiu, dada a "grande preocupação" sobre o destino da princesa Latifa, que foi pedido que o Governo dos Emirados "faça da sua resposta uma questão prioritária".

PUB

A princesa de 35 anos, filha de Mohammed bin Rashid al-Maktoum, governante do Dubai e primeiro-ministro dos Emirados Árabes Unidos, tentou sem sucesso escapar de barco desta cidade-estado do Golfo em 2018, antes de ser levada de volta ao país.

Os seus familiares transmitiram vídeos em que a jovem diz que está trancada numa "quinta transformada em prisão" com as janelas bloqueadas e vigiadas pela polícia.

Os familiares dizem que não tiveram mais notícias da princesa.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG