Justiça

Elon Musk ilibado após chamar pedófilo a mergulhador britânico

Elon Musk ilibado após chamar pedófilo a mergulhador britânico

O fundador da Tesla, Elon Musk, foi, na sexta-feira, ilibado no processo de difamação movido pelo espeleólogo Vernon Unsworth. Vermon foi um dos mergulhadores que esteve no processo de resgate dos jovens tailandeses presos numa gruta, em 2018, e queixou-se de que Musk o tinha chamada do pedófilo.

O júri de um Tribunal, na Florida, nos EUA, considerou que Elon Musk é inocente no processo movido por Vernon. O britânico exigia uma indemnização superior a 150 milhões de euros.

Doze rapazes, entre os 11 e os 16 anos, e o treinador de futebol, de 25, foram resgatados das cavernas de Tham Luang por uma equipa internacional de mergulhadores, depois de uma inundação os prender no final de junho, de 2018.

Elon Musk, da gigante de tecnologia Tesla, ofereceu-se para ajudar na missão de resgate, fornecendo cápsulas submarinas. De acordo com Michael Safi, correspondente do "The Guardian" na Ásia, o chefe de operações no terreno reconheceu que a "tecnologia é boa", mas "não é prática para esta missão".

A rejeição levou Musk a desencadear um ataque no domingo, dizendo que gravaria um vídeo para provar que o submarino teria sido bem-sucedido e acrescentou: "Desculpa, pedófilo, realmente pediste isto". O tweet foi apagado pouco depois.

"Humilhado, envergonhado e suso"

Em Tribunal, Vernon disse que se sentiu "humilhado, envergonhado" e "sujo". Por seu lado, Musk voltou a pedir desculpa pelos tweets, alegando que não falava "a sério". No depoimento, disse que não esperava que o termo "pedo guy" fosse encaracado de forma literal.

Alex Spiro, advogado de Musk, explicou, ainda, que o termo é um insulto comum na África do Sul, onde Elon Musk cresceu.

Outras Notícias