Reino Unido

Em direto: Urna de Isabel II sai de Buckingham em direção a Westminster

Em direto: Urna de Isabel II sai de Buckingham em direção a Westminster

O corpo da rainha Isabel II está a ser transferido do Palácio de Buckingham, a residência oficial da monarca ao longo de sete décadas, para o Palácio de Westminster, em Londres, onde se prevê que centenas de milhares de pessoas prestem homenagem nos próximos dias antes do funeral de Estado, na segunda-feira.

PUB

Após uma noite no Palácio de Buckingham, o caixão desloca-se agora até Westminster num Carro de Artilharia da Tropa do Rei, acompanhado a pé pelo Rei Carlos III e outros membros da família real.

O corpo será depositado no Salão de Westminster [Westminster Hall], a parte mais antiga do edifício onde funciona o parlamento britânico, cujas origens remontam ao século XI. O caixão, fechado e coberto pelo estandarte real e pela Coroa Imperial do Estado, esfera e cetro, será colocado sobre uma plataforma elevada, conhecida como catafalco, e guardado continuamente por soldados de regimentos militares que servem o Rei.

Depois de estar em posição, será realizada uma curta missa com a presença do Rei e de membros da família real, e só depois é que o público será autorizado a entrar.

A Rainha Isabel II ficará em repouso desde as 17 horas até às 6.30 horas de segunda-feira, 19 de setembro, data do funeral, e durante este período o salão estará aberto 24 horas por dia para membros do público passarem brevemente pelo caixão e expressarem respeito.

Preveem-se filas de vários quilómetros com tempos de espera que podem chegar a 30 horas, segundo a imprensa britânica.

Ao longo dos séculos, no Salão de Westminster foram realizados banquetes, julgamentos, reis foram empossados e destituídos, e a sala acolheu discursos de figuras históricas como o presidente francês Charles de Gaulle ou o sul-africano Nelson Mandela.</p>

Foram velados neste espaço o primeiro-ministro britânico William Gladstone (1898), os reis Eduardo VII (1910), Jorge V (1936), Jorge VI (1952) e o primeiro-ministro Winston Churchill (1965).

O último membro da família real a ficar em câmara ardente no Salão de Westminster foi a Rainha Mãe, em 2002, quando cerca de 200 mil pessoas fizeram fila para ver o caixão ao longo de três dias.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG