Irão

Embaixador britânico em Teerão que esteve detido saiu do país

Embaixador britânico em Teerão que esteve detido saiu do país

O embaixador britânico no Irão que esteve detido no domingo por, segundo Teerão, participar nos protestos suscitados pelo abate, por erro, de um avião civil ucraniano por um míssil iraniano, deixou o país.

Segundo a agência de notícias estatal iraniana IRNA, Robert Macaire saiu do país na sequência de um aviso, mas não adianta mais pormenores.

O Ministério dos Negócios Estrangeiros inglês garantiu que a viagem do embaixador a Londres é "mera rotina" e estava planeada mesmo antes da sua detenção em Teerão, garantindo que Robert Macaire vai voltar ao Irão.

O embaixador britânico foi detido no domingo durante os protestos, em Teerão, suscitados pelo abate de um avião civil ucraniano por um míssil iraniano, como explicou o ministro dos Negócios Estrangeiros britânico, Dominic Raab, referindo, na altura, que se tratava de "uma flagrante violação das leis internacionais".

De acordo com os meios de comunicação iranianos, o embaixador esteve detido durante mais de uma hora.

Macaire argumentou que esteve presente no evento, anunciado como uma vigília em memória das vítimas do acidente do avião civil ucraniano abatido "por engano" pelas forças armadas iranianas, mas saiu quando os manifestantes começaram a gritar palavras de ordem.

Centenas de iranianos manifestaram-se no domingo em Teerão, gritando frases de ordem contra o sistema da República Islâmica e a Guarda Revolucionária do Irão por causa do abate do avião civil ucraniano, que provocou a morte dos 176 ocupantes.

Os manifestantes concentraram-se inicialmente junto à porta da Universidade de Tecnologia Amir Kabir, na capital iraniana, para acender velas em homenagem às vítimas.

A vigília degenerou depois num protesto contra as autoridades iranianas.

As palavras aumentaram de tom e as pessoas começaram a gritar "Morte ao ditador", numa referência ao líder supremo do Irão, o ayatollah Ali Khamenei, e a exigir a realização de um referendo no país.

O presidente do Irão, Hassan Rohani, prometeu "levar à justiça" os responsáveis pelo abate, de forma inadvertida, do avião civil ucraniano com um míssil iraniano, uma promessa foi feita durante uma conversa telefónica com o presidente da Ucrânia, Volodymyr Zelenskiy.

O Irão tinha admitido nesse dia responsabilidades no derrube do aparelho da companhia Ukraine International Airlines (UIA) na quarta-feira passada, tendo informado que o avião civil ucraniano tinha sido abatido inadvertidamente por militares iranianos que o confundiram com um míssil de cruzeiro devido ao estado de alerta decretado por causa da recente escalada de tensão entre Washington e Teerão.

Outras Notícias

Outros Conteúdos GMG