Ucrânia

Embaixadores junto da UE acordaram "posição unânime" de resposta à Rússia

Embaixadores junto da UE acordaram "posição unânime" de resposta à Rússia

Os embaixadores dos Estados-membros junto da União Europeia (UE) acordaram uma "posição unânime" para responder às decisões russas, revelando "determinação em adotar sanções específicas", após o reconhecimento pela Rússia dos territórios separatistas no leste da Ucrânia.

"A reunião do COREPER II [Comité de Representantes Permanentes dos Governos dos Estados-Membros da União Europeia] foi agora concluída" e, na ocasião, os responsáveis manifestaram "unidade sobre a posição da UE em resposta às decisões russas", informou a presidência francesa do Conselho.

No encontro, ficou também assente a "determinação em adotar sanções específicas contra os envolvidos, em estreita coordenação com os parceiros e aliados" da União, com um "acordo sobre um calendário antecipado", acrescentou a presidência francesa da UE, numa publicação da rede social Twitter.

Para o final do dia, está ainda marcada uma nova reunião dos embaixadores dos Estados-membros junto da UE, para o aval final a este pacote de sanções.

Ainda esta tarde, os ministros dos Negócios Estrangeiros da União Europeia vão analisar, em Paris, a imposição de sanções à Rússia, anunciou o Alto Responsável para a Política Externa e de Segurança, Josep Borrell.

"Tenho a certeza de que a decisão vai ser tomada por unanimidade", disse Josep Borrell, falando aos jornalistas hoje de manhã antes da reunião organizada pela Presidência francesa sobre as relações da União Europeia e os países da região Indo-Pacífico que decorre em Paris.

Aproveitando a presença na capital francesa de quase todos os ministros dos Negócios Estrangeiros do bloco europeu, Josep Borrell indicou que convocou para hoje à tarde um Conselho informal "que vai tomar as decisões políticas sobre a resposta europeia" que "evidentemente vão ser sob a forma de sanções".

PUB

A reunião sobre a nova anexação dos territórios ucranianos pela Rússia vai, então, decorrer após o encontro ministerial com os países da região Indo-Pacífico.

Na segunda-feira, Vladimir Putin ordenou a mobilização do Exército russo para "manutenção da paz" nos territórios separatistas no leste da Ucrânia, que reconheceu como independentes.

Putin assinou dois decretos que pedem ao Ministério da Defesa russo que "as Forças Armadas da Rússia assumam as funções de manutenção da paz no território" das "repúblicas populares" de Donetsk e Lugansk.

Em 2014 a Rússia invadiu o leste da Ucrânia e anexou a Península da Crimeia, território ucraniano.

A guerra no leste da Ucrânia entre as forças de Kiev e milícias separatistas fizeram até ao momento mais de 14 mil mortos, de acordo com as Nações Unidas.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG