O Jogo ao Vivo

Acontecimento internacional da década

Emergência climática: Catástrofe planetária deixou de ser ficção científica

Emergência climática: Catástrofe planetária deixou de ser ficção científica

Greta Thunberg e António Guterres foram as vozes de alerta: podemos bem ter atingido este ano o ponto de não retorno para a civilização e até para a maioria da vida na Terra.

O ano de 2019 foi o último em que pudemos consumir sem consciência, poluir sem remorsos ou andar de automóvel (pior, de avião!) sem sermos cúmplices do apocalipse. A emergência climática, finalmente declarada pelos líderes mundiais - entre os quais António Guterres e a jovem Greta Thunberg assumiram protagonismo - significa que a humanidade está no possível ponto de não retorno. Reduzir já não basta. Temos de parar de poluir.

De acordo com o último relatório do Painel Intergovernamental sobre Mudanças Climáticas, o aquecimento global está nos níveis mais altos da história, com temperaturas recorde na atmosfera e nos oceanos, que têm promovido o degelo glaciar e a subida do nível do mar. Se as emissões de gases de estufa continuarem iguais às atuais, chegaremos a 2100 com mais 4,8 graus Celsius de temperatura média na Terra. O nível do mar poderá subir 80 centímetros. As consequências negativas para o homem e para os ecossistemas podem ser irreversíveis, com aquecimento cumulativo e duradouro.

"Enfrentamos uma crise sem precedentes que nunca foi tratada como tal e os nossos líderes estão a agir como crianças. Precisamos acordar e mudar tudo", exigiu Greta Thunberg, num dos primeiros discursos globais, nos protestos climáticos de Londres (Extinction Rebellion), no final de 2018. A jovem ativista sueca, que continua a promover as greves das escolas pelo clima às sextas-feiras (Fridays for Future), é a figura do ano da revista "Time".

O planeta que se afunda

Fotografado com água pelos joelhos e o título "O nosso planeta a afundar-se", o secretário-geral da ONU, António Guterres, foi capa da "Time", em junho, para alertar que "o Mundo enfrenta uma grave emergência climática que acontece agora e para todos. A mudança climática avança ainda mais rapidamente do que o previsto por grandes cientistas e supera os esforços para resolvê-la".

Em novembro, a União Europeia declarou a emergência climática. Setenta países comprometeram-se, este mês, com o objetivo da neutralidade carbónica até 2050. De que forma a consciência da emergência climática, que impõe a suspensão de emissões de combustíveis ​​​​​​​fósseis até 2050 se quisermos sobreviver, poderá ou irá mudar a forma como vivemos, a economia global, o turismo, a saúde e os transportes, é algo que a próxima década nos dirá.

Populismo
De volta à Europa e...

Áustria e Itália (com Salvini, na foto) viram-no chegar a governos coligados, outros têm-nos no Parlamento. Mas o reino do populismo fica mais longe, nos EUA e no Brasil, por exemplo.

Europa
O divórcio do século

O Reino Unido (por força do populismo, também) deixou-se encantar pela mensagem nacionalista de certos atores políticos e rasgou o contrato de casamento com a UE.

Dados
O lado B do Facebook

Nascido como a ferramenta mágica para pôr todos em contacto (3000 milhões de utilizadores), revelou-se armadilha. Bem (mal) usado, o FB influenciou opiniões e eleições.

#MeToo
O fim do silêncio

Uma atriz corajosa denunciou assédios e abusos de um produtor de cinema e as mulheres do Mundo disseram #EuTambém. O movimento #MeToo desmascarou muitos criminosos.

Outras Notícias

Outros Conteúdos GMG