Covid-19

Emirados Árabes Unidos abrem entrada a turistas com vacina completa

Emirados Árabes Unidos abrem entrada a turistas com vacina completa

Os Emirados Árabes Unidos anunciaram que, a partir de segunda-feira, começarão a emitir vistos a todos os turistas com vacina completa contra a covid-19, um mês antes do início da Exposição Universal 2020.

A medida surge num contexto de abaixamento do número de infeções neste país do Golfo, com menos de mil casos durante vários dias consecutivos na semana passada, pela primeira vez em vários meses.

A ExpoDubai, prevista para 2020, foi adiada um ano devido à pandemia. A decisão de reabrir a entrada aos turistas de todo o mundo vacinados visa "alcançar a recuperação sustentável e o crescimento da economia duráveis", segundo a agência oficial WAM.

Para entrar nos Emirados será necessário fazer prova de vacinação completa com uma das vacinas aprovadas pela Organização Mundial da Saúde (OMS), ou seja, AstraZeneca, Johnson & Johnson, Moderna, Pfizer/BioNTech, Sinopharm e Sinovac.

"A decisão aplica-se aos cidadãos de todos os países, incluindo os que provêm de países anteriormente interditados", escreveu a WAM, precisando que todos os passageiros com visto turístico terão obrigatoriamente de fazer um teste PCR no aeroporto.

Os Emirados Árabes Unidos integram sete principados, tendo a vida regressado praticamente ao normal em todo o país, mantendo-se, contudo, a obrigação de cumprir regras estritas de distanciamento social e uso de máscara no exterior e em lugares públicos na capital, Abu Dhabi, e no Dubai.

Com a abertura, em outubro, da Exposição Universal, o Dubai, cuja economia tem assentado, nos últimos anos, no turismo e no entretenimento, espera encher-se de visitantes, depois de ano e meio marcado pela crise sanitária.

PUB

O Dubai foi um dos primeiros destinos turísticos a abrir as portas aos visitantes internacionais em julho de 2020, em plena pandemia de covid-19, medida seguida por Abu Dhabi no final de dezembro. No total, o país registou mais de 715 mil casos de covid-19, com mais de dois mil mortos.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG