Eleições

Empate técnico nas presidenciais polacas

Empate técnico nas presidenciais polacas

Sondagens à boca da urna dão a vitória ao presidente conservador, Andrezj Duda, por uma diferença inferior a um ponto percentual para o liberal autarca de Varsóvia, Rafal Trzaskowski.

50,4% contra 49,6%. Ou seja, menos de 150 mil votos. As eleições presidenciais mais renhidas de que há memória na Polónia podem ter terminado em empate técnico, se as previsões no fecho das urnas estiverem corretas.

A diferença entre o conservador Andrezj Duda, atual presidente com apoio do partido no poder, o PiS (Lei e Justiça) de Jaroslaw Kaczinski que tem alimentado bastas picardias com a Europa, e o liberal Rafal Trzaskowski, autarca da capital polaca apoiado pela Coligação Cívica é demasiado curta para um prognóstico.

E a vitória pode muito bem ficar a depender do escrutínio da diáspora polaca. Ora, só no Reino Unido vivem 180 mil polacos, cuja preferência, na primeira volta destas eleições, foi clara para Trzaskowski.

As eleições opuseram duas visões da Europa - Trzaskowski é pró-europeu, enquanto o PiS tem afirmado a independência da Polónia face às regras de Bruxelas, aprovando até uma reforma judicial contestada na Europa, por violar o estado de direito - e de questões sociais como a homossexualidade, com Duda a defender a proibição de avanços nos direitos LGBT enquanto o autarca de Varsóvia ficou famoso por publicar uma carta de direitos para a capital.

Outras Notícias