EUA

Enfermeiro morreu com Covid-19 em Nova Iorque. Colegas culpam o Governo

Enfermeiro morreu com Covid-19 em Nova Iorque. Colegas culpam o Governo

Kious Kelly, um enfermeiro de Nova Iorque, de 48 anos, morreu infetado com Covid-19. Os colegas acusam o Governo federal de não estar a fornecer o material de proteção necessário.

O enfermeiro, que trabalhava num hospital de Manhattan, esteve internado uma semana e morreu após ter estado ligado a um ventilador nos cuidados intensivos. A irmã de Kious Kelly partilhou as últimas mensagens trocadas com o enfermeiro, que dizia estar bem e apenas não conseguir falar.

Aquele que foi o primeiro caso reportado de um enfermeiro a morrer de Covid-19 no estado de Nova Iorque criou uma onda de críticas à falta de Equipamentos de Proteção Individual (EPI) nos hospitais norte-americanos.

Kious Kelly recebeu apenas uma bata de plástico para se proteger durante todo o turno, apesar de o protocolo estabelecer a troca de equipamento a cada interação com doentes infetados.

Algumas das testemunhas ouvidas pelo jornal "The New York Times" contam que Kious Kelly, bem como os restantes profissionais de saúde têm trabalhado sem máscaras e sem luvas. Há até quem relate casos em que foram utilizados sacos do lixo de plástico para tentar uma maior proteção.

Movimento #GetMePPE

Médicos e enfermeiros de todo o país têm utilizado as redes sociais para criticar e pressionar a administração de Donald Trump.

A falta de EPI em vários hospitais tem sido denunciada através da hastag #GetMePPE - (Personal Protective Equipment) - em português "Deem-me EPI".

Foi criada uma petição online a pedir ao presidente dos EUA que direcione unidades de produção, material e recursos necessários para garantir o abastecimento de materiais de proteção a todos os hospitais e o fornecimento de equipamentos médicos como ventiladores.

Outras Notícias

Outros Conteúdos GMG