O Jogo ao Vivo

Exclusivo

Era de Castros finda com sentimento de "dever cumprido"

Era de Castros finda com sentimento de "dever cumprido"

Raúl deixa cargo de primeiro secretário do Partido Comunista para o chefe de Estado, Miguel Díaz-Canel. Linha política deverá manter-se.

É o fim de uma era: Cuba deixa de estar nas mãos de um Castro. Depois de Fidel, fundador do Partido Comunista Cubano, único partido da ilha, e líder da revolução de 1959, Raúl, seu irmão e companheiro de luta, deixou, ao fim de dez anos, a liderança partidária. A decisão foi tomada durante o 8.º Congresso, que terminou ontem, em Havana, e marca um virar de página na História do país. A linha política deverá manter-se, já que o mais alto posto da hierarquia passa a ser ocupado por Miguel Díaz-Canel, presidente cubano, o "homem que soube fazer parte da equipa".

Ministro da Defesa por quase meio século e braço-direito do irmão, Raúl Castro decidiu, aos 89 anos, afastar-se, para dar o exemplo e o lugar à continuidade. "Termino a minha tarefa como primeiro secretário com a satisfação de dever cumprido e com a confiança no futuro da pátria", disse. Um futuro que não se prevê fácil, já que o país não enfrenta apenas a crise pandémica, mas, também, uma crise económica e social.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG