Nova Zelândia

Erupção de vulcão "apanha" 50 turistas, mais de 20 terão morrido

Erupção de vulcão "apanha" 50 turistas, mais de 20 terão morrido

"Sem sinal de vida". É este o resultado do primeiro voo de reconhecimento após a erupção do vulcão White Island, na Nova Zelândia, onde se encontravam cerca de 50 turistas. Há cinco mortos confirmados e 23 pessoas foram resgatadas.

"Baseados na informação que temos atualmente, não cremos que existam sobreviventes na ilha", refere a última atualização da polícia.

Numa primeira análise, as autoridades tinham apontado que cerca de 100 turistas se encontravam junto do vulcão, ou nas imediações, no momento da erupção do vulcão, a nordeste da cidade de Tauranga na Ilha do Norte, uma das duas principais ilhas da Nova Zelândia.

Mas num novo balanço, o vice-comissário de Operações Nacionais de Polícia, John Tims, reduziu esse número para menos de 50 o número de turistas da Nova Zelândia e estrangeiros que estavam no local no momento da erupção. Além dos cinco mortos, "18 pessoas ficaram feridas, sendo que algumas apresentam queimaduras graves", acrescentou.

"Neste momento, é muito perigoso para a polícia e para os membros das equipas de resgate irem para a ilha, que permanece coberta de cinzas e material vulcânico... sabemos da urgência de regressar lá", disse, sobre a operação de resgate - 23 pessoas já foram retiradas.

"A nossa prioridade absoluta é continuar a busca e resgate", sublinhou a primeira-ministra da Nova Zelândia, Jacinda Ardern.

Michael Schade, que estava a sair da ilha no momento da erupção, filmou a densa nuvem de cinza. Tinha estado na zona da cratera cerca de 30 minutos antes.

A agência neozelandesa GeoNet, que monitoriza a atividade vulcânica e sismológica no país, indicou ter ocorrido uma erupção vulcânica moderada que ocorreu às 14.11 horas (1.11 horas em Portugal continental) e alertou para possíveis novas erupções ou sismos.

Os turistas efetuavam uma viagem pela ilha desabitada de Whakaari, onde se situa o vulcão White Island, quando a explosão abrupta ocorreu, lançando rochas e uma grande nuvem de cinzas.

Alguns dos turistas eram passageiros do navio de cruzeiro "Ovation of the Seas", que partiu de Sydney na semana passada e chegou à cidade de Tauranga, perto de White Island, no domingo.

O primeiro-ministro da Austrália, Scott Morrison, já indicou que há cidadãos australianos "apanhados por este evento terrível".

Uma página criada na internet pela Cruz Vermelha da Nova Zelândia para familiares registarem desaparecidos inclui pessoas da Austrália, Nova Zelândia, Estados Unidos, Índia e vários países europeus.

Havia pessoas perto da cratera minutos antes da erupção, de acordo com imagens de uma câmara de rastreamento instalada na zona.

As autoridades estabeleceram um perímetro de segurança ao redor da ilha e cancelaram imediatamente todas as excursões, incluindo as de barcos turísticos ao redor da ilha que é visitada anualmente por cerca de 10 mil pessoas.

Outras Notícias

Outros Conteúdos GMG