Mundo

Espanha impedirá entrada de camiões com areia em Gibraltar

Espanha impedirá entrada de camiões com areia em Gibraltar

O Ministério do Interior espanhol deu ordens à Guarda Civil para impedir a passagem de camiões com areia para a construção de um novo complexo urbanístico e um segundo pontão em Gibraltar.

Segundo fontes do Ministério do Interior espanhol, a Guarda Civil tem ordens para intercetar todos os veículos pesados que tentem entrar com areia em Gibraltar.

As mesmas fontes indicaram que a medida foi tomada em coordenação com o serviço aduaneiro e com a brigada de fiscalização do meio ambiente por se tratar de um crime ecológico.

Espanha tinha entretanto dito ao Reino Unido que retirasse os 70 blocos de cimento que lançou ao largo de Gibraltar, antes de Madrid concordar em dialogar sobre o conflito diplomático relativo àquele território sob soberania britânica.

Num artigo publicado no diário financeiro "Wall Street Journal", o ministro dos Negócios Estrangeiros espanhol, Jose Manuel Garcia-Margallo, criticou duramente a construção de um recife, no mês passado, nas águas disputadas e usadas por pescadores espanhóis.

Espanha disse estar disposta a recomeçar o diálogo com o Reino Unido e aceitará a criação de fóruns 'ad-hoc', que incluam Gibraltar e a vizinha província espanhola da Andaluzia, para questões relacionadas com os residentes dos dois lados da fronteira, afirmou Margallo.

"Mas, tal como disse, no início deste mês, o primeiro-ministro espanhol, Mariano Rajoy, ao homólogo britânico, David Cameron, é primeiro necessário que o Reino Unido mostre que pretende compensar os danos já causados, em particular, com a remoção dos blocos de cimento".

O Governo de Gibraltar afirmou que o recife de cimento vai servir para regenerar a vida marinha e argumentou que Espanha apanha crustáceos ilegalmente nas águas territoriais.

As autoridades espanholas reforçaram, este mês, o controlo alfandegário na fronteira com Gibraltar, numa operação anticontrabando, mas criaram longas filas de trânsito, que se prolongam por horas. Londres acusou Madrid de usar a fronteira para retaliar pela construção do recife.

A Comissão Europeia vai enviar observadores para a fronteira, em setembro, a pedido de Madrid e Londres.

O território, sob administração britânica, tem 6,8 quilómetros quadrados e perto de 30.000 residentes.

O conflito diplomático entre os dois países prolonga-se há mais de quatro semanas e é considerado pela imprensa espanhola o mais grave desde 1969, ano em que o ditador Francisco Franco mandou fechar a fronteira de Espanha e impedir a passagem aos residentes de Gibraltar.

Outras Notícias