Fim de semana

Espanha vai estar entre as regiões mais quentes do planeta

Espanha vai estar entre as regiões mais quentes do planeta

Espanha prepara-se para enfrentar um fim de semana com temperaturas recorde, com os termómetros a atingir os 44º C em algumas regiões. Especialista garante que algumas zonas do país vizinho estarão entre as mais quentes do planeta.

Num "episódio breve, mas intenso", como explica Rubén del Campo, porta-voz da Aemet, agência meteorológica nacional, grandes áreas do interior da metade norte de Espanha deverão ter máximas de mais de 35º C, enquanto no Vale do Ebro e na metade sul do país, como o Vale do Guadalquivir, as temperaturas podem subir para entre 44ºC e 45ºC.

O calor deverá manter-se à noite em algumas áreas, com previsão de temperaturas superiores a 25ºC nas províncias de Jaén, Granada, Almería e Málaga, informa o "El País".

"Vai ser o fim de semana mais quente até agora deste verão. Vai ser um calor dramático. São temperaturas extremas que mesmo no Vale do Guadalquivir, que já é muito quente, raramente são atingidas", continuou del Campo.

Prevê-se que a temperatura esteja entre 5ºC e 10ºC acima da média em todo o país e mais de 10ºC acima da média no oeste da Andaluzia, Navarra e La Rioja.

As "temperaturas extremamente altas" atingirão o seu pico na maior parte de Espanha continental no domingo e cairão a pique na segunda-feira, quando uma corrente de ar frio do Atlântico empurrar a massa de ar quente de África para leste. Isso levará a um aumento significativo das temperaturas nas Ilhas Baleares, que podem ter máximas de 35ºC e 40ºC na segunda-feira - até 10ºC acima da média.

PUB

As áreas do interior de Múrcia e outras partes da península do sudeste também têm previsões de máximas de mais de 44ºC. Enquanto isso, em Málaga, o termómetro pode chegar a 40ºC.

As Ilhas Canárias vão ter temperaturas entre 5ºC e 10ºC acima da média até quarta-feira. No sul de Gran Canaria, os termómetros podem subir a mais de 40ºC no domingo.

As nuvens de poeira do Saara também devem afetar o arquipélago, bem como Espanha continental.

"Será realmente anómalo", explicou Juan Jesús González Alemán, meteorologista da Aemet. "Grandes partes da península entrarão nas regiões mais quentes da superfície do planeta. Será uma extensão do tradicional 'cinturão de calor' de verão que geralmente se estende da Argélia à Índia".

As condições - fruto de uma atmosfera estável, forte insolação estival e entrada de ar mais quente da África - não se qualificam, contudo, como onda de calor, que se define por três requisitos: temperaturas extremas até 5% superiores às máximas, afetando 10% das estações meteorológicas do país, com duração mínima de três dias.

Espanha registou a sua temperatura mais alta em julho de 2017, quando os termómetros em Córdoba atingiram os 46,9ºC.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG