Coronavírus

Estado norte-americano do Ohio estima ter mais de 100 mil infetados com Covid-19

Estado norte-americano do Ohio estima ter mais de 100 mil infetados com Covid-19

O Ohio pode ter já mais de 100 mil pessoas infetadas com o novo ​​​​​​​coronavírus, disse a diretora de Departamento de Saúde desse estado norte-americano.

Amy Acton, diretora do Departamento de Saúde do Ohio, disse hoje que o território estadual está a registar transmissões comunitárias do vírus, ou seja, localmente entre a população e não através de pessoas que viajaram para zonas infetadas.

"Com base no que sabemos sobre como funciona a transmissão comunitária, pelo menos 1% da população já estará infetada com o vírus no Ohio, hoje", alertou Amy Acton, numa conferência de imprensa, ao lado do governador, Mike DeWine.

"Temos 11,7 milhões de pessoas. Por isso, fazendo as contas, isso perfaz 100 mil pessoas infetadas. Temos assim uma ideia de como o vírus se espalha e espalha-se rapidamente", explicou Acton.

"Esta é uma pandemia que só acontece a cada 50 anos e que já aguardávamos", explicou a responsável do Departamento de Saúde, confirmando que, no Ohio, há cinco casos confirmados e 52 sob investigação, mas referindo que os testes realizados são muito diminutos.

Os Estados Unidos têm cerca de 1700 casos de infeção confirmados e 40 pessoas morreram, segundo a Universidade Johns Hopkins.

PUB

"Sabemos que os números continuarão a aumentar", disse o governador DeWine, referindo-se a uma situação de "crise", para justificar a medida de proibição de reuniões com mais de 100 pessoas e o encerramento de escolas, por três semanas, no estado.

O novo coronavírus responsável pela Covid-19 foi detetado em dezembro, na China, e já provocou mais de 4.900 mortos em todo o mundo, levando a Organização Mundial de Saúde a declarar a doença como pandemia.

O número de infetados ultrapassou as 131 mil pessoas, com casos registados em mais de 120 países e territórios, incluindo Portugal, que tem 78 casos confirmados.

A China registou nas últimas 24 horas oito novos casos de infeção pelo novo coronavírus (SARS-CoV-2), o número mais baixo desde que iniciou a contagem diária, em janeiro.

Até à meia-noite de quinta-feira (16 horas de quarta-feira, em Lisboa), o número de mortos na China continental, que exclui Macau e Hong Kong, subiu para 3176, após terem sido contabilizadas mais sete vítimas fatais. No total, o país soma 80.813 infetados.

A Comissão Nacional de Saúde informou que até à data 64.111 pessoas receberam alta após terem superado a doença.

Face ao avanço da pandemia, vários países têm adotado medidas excecionais, incluindo o regime de quarentena inicialmente decretado pela China na zona do surto.

A Itália é o caso mais grave depois da China, com mais de 15 mil infetados e pelo menos 1016 mortos, o que levou o Governo a decretar a quarentena em todo o país.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG